VIOLÊNCIA DOMÉSTICA – APAV de Coimbra recebeu mais de 550 pedidos de ajuda em 2015

0
3
A Associação Portuguesa de Apoio
à Vítima (APAV) de Coimbra recebeu, este ano, mais 550 novos casos de crimes de
violência, na região Centro. Este número traduziu-se num aumento de
solicitações das vítimas em 20 por cento, quando comparado com o ano anterior.
Quem o afirma é Natália Cardoso,
representante da associação que, na passada quinta-feira, foi uma das três
entidades distinguidas com um donativo da Plural – Cooperativa Farmacêuticos.
Visivelmente satisfeita pelo
“apoio simbólico”, Natália Cardoso lamentou as “grandes dificuldades financeiras”
que têm afetado a instituição nos últimos anos, acrescentando que a parceria
que resultou na gratuitidade no acesso aos transportes públicos por parte das
vítimas da APAV foi “muito importante”.
“A base da nossa rede são os
voluntários. Sem eles dificilmente conseguiríamos ter uma intervenção tão
abrangente”, confessou, adiantando que a delegação conta com mais de uma dezena
de voluntários dos cerca de 220 distribuídos por todo o país.
A responsável acrescentou, ainda,
que a legislação mais recente relativa aos crimes de violência está a proteger
mais as vítimas e a permitir que as instituições tenham uma resposta mais
rápida”. “O mais difícil por vezes é arranjar elementos de prova suficientes”,
lamentou. A APAV que, este ano, celebra 25 anos de existência, é, recorde-se,
uma IPSS cuja missão é apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos,
prestando serviços gratuitos e confidenciais. A associação tem uma rede de
quatro dezenas de residências que acolhem vítimas de crimes, de norte a sul do
país.
Sobre o apoio da Plural, Natália
Cardoso não escondeu a sua “enorme satisfação”, reforçando que “este tipo de
ações são muito significativas para as instituições”.