NATAL – Bombeiros recebem prenda de quinze mil euros

0
5

A par da alegria das crianças, que durante a tarde brincaram e merendaram
no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Penacova, também os adultos
(bombeiros, bombeiras e familiares) souberam conviver através de uma Ceia que a
Direcção e Comando da Associação quiseram proporcionar aos seus 120 activos que
no dia-a-dia trazem em segurança a população e os seus haveres, incluindo 25
elementos da Fanfarra e 30 Escolinhas

O dia escolhido foi o dia 19 de Dezembro. Durante a Ceia, no meio de mais de 300 convivas, a alegria foi a
tónica de um puro ambiente familiar, onde as crianças, com seus pais, avós,
tios e primos, deram um toque de jovialidade, de amor e de alegria. Entre os
demais, não esquecer a presença de presidentes de Juntas de Freguesia, alguns
deles trazendo o seu donativo, bem como dos autarcas municipais João Azadinho,
vice-presidente da Câmara, o vereador do Desporto Ricardo Simões e o deputado e
presidente da Assembleia Municipal, Pedro Coimbra.

No meio de toda esta solidariedade humana,
a registar também os sorteios de cabaz de natal e outras prendas oferecidas por
empresas locais. E uma das prendas viria dos bolsos do benemérito Urbano
Marques que, à «socapa», entregaria cheque, que viríamos a saber ser da
importância de 15 mil euros. 
Também foram entregues capacetes para
incêndios urbanos «Gallet F1». Estão «encomendados» 40, mas, por agora, foram
entregues 10 a chefes e subchefes, estes oferecidos pela Junta de Freguesia de
Penacova.


A entrada de jovens permite sorrir com o
futuro

As palavras proferidas que se seguiram
transmitiram que há confiança, amizade e união entre toda a Família Bombeiro
Penacovense. O comandante António Simões, referiria isso mesmo, pois não
esqueceu o apoio das famílias, que «nos permitem cumprir a nossa missão,
ultrapassando dificuldades», dando nota de que os bombeiros acodem uma média de
50 serviços diários e 12 emergências/dia. Depois de pedir um salva de palmas
para todos, o Comandante recordou que «a nossa família está a crescer, com
jovens que entraram pela primeira vez, uma juventude que será o garante do
futuro e da vida desta Associação». Recordou que «estes momentos de convívio
são importantes para ultrapassar certos obstáculos». Deixou um abraço a todos,
incluindo Escolinhas e Fanfarra, que «diariamente cumprem com o dever de salvar
a vida de cidadãos» e com estes actos, «enriquecem a vida humana». Deixou o
apelo para que continuem «a prosseguir como até aqui este caminho, cheio de
alegria»; e na pessoa do Padre Aníbal, pároco de Penacova, desejou a todos
boas-festas e que o ano novo seja para todos o bálsamo para muitos problemas
que não conseguiram ultrapassar e que a Associação continue a ser uma grande
Associação Humanitária, a bem de Penacova, do distrito, do país.

Duas ausências, com agradecimentos aos
penacovenses de Nova Iorque  e apelo à meta dos 4.000 sócios

O presidente da Direcção, Paulo Dias,
lamentando duas ausências devido a doença: os presidentes da Assembleia-Geral e
do Conselho Fiscal, respectivamente António Miranda e Ivo Teixeira, agradeceu
às autarquias presentes, particularizando aquelas que deram donativos, bem como
a presença do empresário Urbano Marques, ali a representar as Águas de
Penacova. Paulo Dias não esqueceu os penacovenses emigrados em Nova Iorque, que
no seu anual convívio, em terras do «Tio Sam», contribuíram para os Bombeiros
com mais de 3.000 euros, que mesmo longe, como afirmou, não esquecem os seus
«Soldados da Paz». Falou do protocolo existente que permite adquirir capacetes
e outros equipamentos e deixou o apelo para que a Campanha dos 4.000 sócios
seja uma meta a atingir.

Câmara e Bombeiros uma amizade mútua

O vice-presidente da Câmara, já que o
Presidente estava noutra missão, disse ser com «muita alegria estar em família
convosco», provando que a Câmara e os Bombeiros «vivem uma amizade mútua».
Deixando os parabéns à Escolinha, e que por ser responsável pela Educação, João
Azadinho disse ser o início da formação das crianças, «neste caso a saber
comportarem-se solidariamente».
E a festa terminou já a noite ia alta, com
distribuição de prendas a todos, onde o bolo-rei e o champanhe os acompanhantes
de uma jornada de autêntico convívio solidário.

José
Travassos de Vasconcelos
 | A Comarca de
Arganil