DIVISÃO DE HONRA – União FC sofreu até ao fim para vencer estudantes

0
4
Jogo de muitos nervos, em São
Martinho do Bispo, entre a Académica/ OAF e o União FC (Penacova). Os visitantes ficaram a
jogar com 10 aos 70’, mas aguentaram até aos “descontos” para vencer de
penálti.
A precisar de ganhar para
continuar entre os primeiros, o União FC entrou melhor, como seria de esperar.
Aos 10’, os visitantes tiveram
uma situação flagrante de golo, mas Diogo Melo não conseguiu servir Reinaldo a
tempo de evitar o corte.
Dois minutos depois, nova
oportunidade para o União FC, agora com Marcelo, in extremis, a “tirar o pão da
boca” a Rúben, que, em cima da linha de golo, não conseguiu emendar.
Mas, depois dos primeiros 15
minutos dominados pelos visitantes, a Académica/ OAF subiu no terreno e teve as
ocasiões mais flagrantes.
Yuri, aos 19’, evitou o golo a
Gil e, 10 minutos depois, foi o guardião Gonçalo a anular, com defesa apertada,
o remate acrobático de Rosas.
Já perto do intervalo, Gil teve
nos pés a ocasião mais flagrante para a Académica/OAF, após centro da direita
de Seco, mas, com a baliza aberta, fez o mais difícil, para desespero do
“banco” dos locais, e atirou ao lado.
Os estudantes procuravam subir ao
5.º lugar e acreditaram que podiam tirar o tapete ao 3.º classificado. Por
isso, nunca tiraram os olhos da baliza. Aos 56’, Saltão podia ter feito o golo,
mas Batista surgiu no tempo certo a cortar a bola.
Dois minutos depois, foi Bogalho
a ter de se aplicar para evitar o golo a Reinaldo.
O duelo entre o avançado do União
FC e o guardião da Académica voltou a dar faísca aos 70’. Mas, desta vez, foi
curto-circuito para Reinaldo, que entrou com tudo sobre Bogalho e viu o segundo
cartão amarelo, deixando o União FC com 10 jogadores.
Final de “loucos”

Apesar de estar a jogar com menos
um, os visitantes até podiam ter aberto o marcador aos 81’, depois de uma falha
de comunicação entre Seco e Bogalho que deixou Jessi sozinho. O avançado andou
demasiado com a bola, perdeu ângulo e teve de dar para trás, para Bruno, mas
surgiu o corte in extremis da Briosa a limpar o lance.
Do outro lado, Vítor podia ter
feito o golo em duas ocasiões. Aos 84’, o remate saiu ligeiramente ao lado e
aos 90’, depois de passar pelo guardião Gonçalo, perdeu tempo de remate e
disparou às malhas laterais.
Quando já todos acreditavam que o
resultado não ia sofrer alterações, Marcelo, que tinha visto o cartão amarelo”
aos 91’, fez falta sobre Jessi dentro da área e acabou expulso, deixando os
visitantes em posição privilegiada para marcar.
O mesmo Jessi não vacilou e
converteu o penálti, garantindo três importantes pontos na luta pelo topo da
classificação.
Os ânimos ainda se exaltaram, já
depois do apito final, e fora das quatro linhas. Mas a confusão, própria de um
final de tarde soalheiro e bem regado, foi sanada com rapidez.
Bruno Gonçalves | Diário As
Beiras