DESTAQUE | Há mais de 20 anos que não nevava tanto na aldeia do Roxo

0
4
Às 7h30 da manhã, o Gustavo, de
10 anos, e o Tiago, de 5, “saltaram” da cama para brincar na neve que caiu
durante grande parte da madrugada na localidade do Roxo (Lorvão, Penacova). De gorro e luvas, os
dois irmãos esqueceram o sono e aproveitaram o manto branco que cobriu a
pequena localidade, situada a 11 quilómetros de Coimbra. «Até fizemos um boneco
de neve», conta Gustavo, ainda entusiasmado com a aventura.
De acordo com a mãe, Sandra
Santos, há mais de 20 anos que não caía neve com tanta intensidade na aldeia de
Roxo. «À meia noite e meia, já nevava e, às 8h00 ainda nevava muito», adianta a
comerciante, que ontem ao abrir o café contou um cenário como há muito não se
via. «Foi bonito. Quase todos os anos, neva um bocadinho, mas com esta intensidade
não», sublinha.
Igualmente entusiasmado estava o
Miguel, de 5 anos, que nunca tinha visto neve “ao vivo”. Na companhia da mãe e
do avô, o pequeno não escondia a emoção. Da Rocha Nova ao Roxo são poucos
quilómetros de distância, mas, quando vinha no carro, conta o avô José
Abrantes, o Miguel não vinha nada contente, porque, pelo caminho, nem sinal de
neve. «E ele até tinha trazido uma cenoura para o boneco de neve», acrescenta.
Mas, bastou subir mais um
bocadinho – Roxo situa-se a 400/500 metros de altitude -, para a “birra” dar
lugar à alegria. Mãe e filho realizaram verdadeiras “batalhas” de bolas de neve
e, para alegria do Miguel, pouco antes das 11h00 voltaram a cair alguns flocos
de neve. «Está a nevar, está a nevar», ouvia-se entre as muitas pessoas que
enfrentaram as baixas temperaturas e saíram à rua. E, para alegria do Miguel, a
quantidade foi suficiente para fazer o desejado boneco de neve com nariz de
cenoura. «Agora, já cá queria passar todo o dia», sublinha José Abrantes,
enquanto recolhia algumas fotografias para marcar o momento.
Quem também não perdeu a
oportunidade de passar uns bons minutos em brincadeiras na neve foram o Rafael,
de 7 ano, e o Duarte, de 4. Devidamente agasalhados, os irmãos viajaram com os
pais Sérgio Assunção e Cristina Ralha, desde Chelo, a escassos quilómetros do
Roxo, e divertiram-se “à grande”, quase a fazer lembrar as aventuras da Serra
da Estrela.
E no Roxo foi assim, pelo menos,
durante toda a manhã. Além dos habitantes locais, muitas famílias de povoações vizinhas,
ao saberem das notícias da neve, fizeram-se ao caminho para ver de perto o
manto branco.

Patrícia Isabel Silva | Diário de Coimbra