POLÍTICA – Maurício Marques reeleito na distrital

0
1
O deputado de Penacova, Maurício Marques, foi
este fim de semana reeleito como presidente da Comissão Política Distrital do
PSD. Único candidato, o antigo autarca obteve perto de meio milhar de votos dos
cerca de 1.000 militantes que estavam em condições de exercer o seu direito de
voto. Apesar da elevada abstenção no ato eleitoral, o presidente reeleito
mostrou-se satisfeito com a votação obtida anteontem em todo o distrito.
Em declarações […], o dirigente
referiu que a principal prioridade da direção é preparar as próximas eleições
autárquicas e, como tal, voltar a ser a força política com mais municípios no
distrito de Coimbra. “Apesar de não estarmos mandatados para tal, a anterior
direção já tinha começado a trabalhar nesse dossiê”, afirmou.
Os próximos seis meses é o prazo
definido pela nova comissão política para ter o processo “mais ou menos
concluído”, mas lembra que terão de ser também ouvidas as comissões políticas
de secção bem como a Comissão Política Nacional do partido.
Dos atuais cinco autarcas do PSD
– Arganil, Cantanhede, Mira, Pampilhosa da Serra e Penela –, dois deles
(Arganil e Cantanhede) não se podem recandidatar. “Gostava que os presidentes
de Mira, Pampilhosa da Serra e Penela se recandidatassem ao cargo, pois os seus
concelhos têm saído muito beneficiados da sua atuação”, afirmou.
Sobre possíveis entendimentos com
o CDS-PP no distrito, Maurício Marques não fechou a porta a tal situação, mas
garantiu que “a primeira palavra caberá sempre às concelhias”.
Na direção agora reeleita, Fátima
Ramos e Paulo Leitão são os vice-presidentes. Nuno Freitas continua a ser o
presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jorge Alves Correia preside ao Conselho
de Jurisdição e Helena Teodósio lidera a Comissão de Auditoria Financeira.
 João Paulo Barbosa de Melo (Reflexão
Estratégica e Novos Públicos), Francisco Rodeiro (Gabinetes Institucionais),
Costa Andrade (Conselho Consultivo) e Ricardo Alves e Raul Almeida (Formação
Autárquica) são os coordenadores destes gabinetes.
António Alves – Diário As Beiras