SOLIDARIEDADE – Banco Alimentar regressa com apelo à partilha

0
2
É mais uma campanha de recolha de
alimentos que os Bancos Alimentares Contra a Fome vão promover este fim-de-semana
e cujo objectivo é recolher o maior volume possível de bens alimentares, que
serão depois canalizados para quem mais precisa. O distrito de Coimbra volta,
mais uma vez, a associar-se à campanha nacional – que assinala 25 anos – que
vai mobilizar, durante o fim-de-semana, cerca de 43 mil voluntários que vão
marcar presença em cerca de 2.630 estabelecimentos comerciais.
Desta vez, o Banco Alimentar de
Coimbra cobre a totalidade do distrito, chegando, pela primeira vez, ao
concelho de Pampilhosa da Serra. «Era um objectivo nosso cobrir todo o
distrito», explica José Santos Andrade, do Banco Alimentar de Coimbra, frisando
que, apesar de não serem recolhidos bens alimentares neste concelho, há
instituições locais que têm sido apoiadas consoante a disponibilidade de bens.
Alcançado este objectivo de
chegar a todo o território, o Banco Alimentar de Coimbra sai para a rua amanhã
e depois com cerca de 2.600 voluntários, espalhados por 90 superfícies
comerciais. Quem se quiser juntar a esta jornada solidária ainda o pode fazer,
uma vez que, admite José Santos Andrade, são necessários mais voluntários e
quem o quiser ser só tem de fazer a sua inscrição pelo email
ba.coimbra@bancoalimentar.pt ou pela ficha de inscrição no site do Banco
Alimentar.
A campanha de Maio do ano passado
alcançou em Coimbra níveis «excepcionais», destaca o responsável, falando no
aumento de 17% quando, no todo nacional, o aumento foi pouco além dos 3%. Por
isso, admite José Santos Andrade, será difícil alcançar os mesmos valores, pelo
que, andar lá próximo «já será um resultado muito bom». Depois, é fazer a
triagem e o armazenamento dos produtos que, todos os meses, o Banco Alimentar
de Coimbra faz chegar a cerca de 70 instituições ou, pontualmente consoante a
disponibilidade, a mais 80, apoiando, no total, cerca de 150 instituições.
“Partilhar sabe bem” é o mote da
campanha que, segundo Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa de
Bancos Alimentares Contra a Fome, pretende «criar um espírito de partilha e de
entreajuda que permitirá, seguramente, multiplicar o apoio e a ajuda prestada a
quem mais necessita, contribuindo de forma efectiva para fazer a diferença na
vida de muitas pessoas».
Além da ajuda directa nas
superfícies comerciais, onde os voluntários recebem as dádivas, a campanha
decorre também através de vales disponíveis nas caixas dos supermercados, e de
um portal de doação online em www.alimentestaideia.net, pensado para quem quer
ajudar mas não vai ao supermercado ou reside fora do país.
Margarida Alvarinhas – Diário de Coimbra