POLÍTICA – Pedro Coimbra quer contribuir para a pacificação da Federação

0
2
O líder distrital do PS de
Coimbra e Presidente da Assembleia Municipal de Penacova, Pedro Coimbra – que ontem viu confirmada, no congresso, a reeleição
para o cargo, obtida em lista única nas eleições directas de 21 de Maio-
garantiu apoio «empenhado e dedicado» ao governo liderado por António Costa. «A
tal ‘geringonça’ funciona bem e tem dado um belo exemplo ao país», frisou Pedro
Coimbra.
Entre outros objectivos, Pedro
Coimbra quer voltar a vencer as eleições autárquicas no distrito – onde o PS
possui a liderança de 12 das 17 câmaras municipais – e «contribuir para a
pacificação» do PS distrital, depois das criticas à sua liderança.
A esse propósito, Pedro Coimbra
revelou ter convidado António Manuel Arnaut – o anunciado candidato à Federação
que desistiu antes das eleições, alegando irregularidades no processo – e
outros militantes contestatários para integrarem órgãos da Federação de Coimbra
«mas todos recusaram».
Também sobre esta cisão no PS
Coimbra, Manuel Alegre apelou à «pacificação» do PS de Coimbra, aconselhando a
liderança federativa a promover o diálogo interno.
Recorde-se que este processo
eleitoral ficou marcado por um primeiro adiamento motivado pelo processo
judicial em que se confirmou terem sido falsificadas dezenas de fichas de
militantes do PS.
Intervindo na sessão de
encerramento do congresso da federação distrital do PS, o histórico militante
socialista recusou que o Governo e a maioria parlamentar de esquerda que o
apoia sejam uma «geringonça» e que o termo «é uma invenção» da direita para degradar
o acordo governativo. Manuel Alegre disse ainda que o Governo e o acordo
parlamentar que o sustenta «está a ter um papel pioneiro» na Europa e que o
primeiro-ministro António Costa «não provoca mas também não se deixa provocar»
pelos líderes europeus e pelo sector financeiro. «António Costa não afronta mas
também não se põe de joelhos perante a Europa», sustentou.
Diário de Coimbra