IP3 – Casal gravemente ferido em acidente envolvendo camião e carrinha

0
3
Um casal, com cerca de 70 anos,
ficou gravemente ferido num acidente ocorrido ontem à noite junto ao nó de
Penacova, no IP3, no sentido Coimbra-Viseu, envolvendo uma viatura ligeira,
onde seguiam os dois feridos graves, um camião e uma carrinha, onde seguia o
outro ferido, neste caso ligeiro.
O alerta foi dado às 21h09 e o
acidente obrigou os Bombeiros Voluntários de Penacova a usarem material de
desencarceramento para retirar o casal, residente em São Paio do Mondego
(São Pedro de Alva), de dentro da viatura ligeira.
As circunstâncias não estão
totalmente esclarecidas. No entanto, de acordo com Vasco Viseu, segundo
comandante dos Bombeiros de Penacova, o casal viria de Penacova para entrar no
IP3. Terá visto o camião e esperado que o pesado passasse, mas não se terá apercebido
da carrinha que seguia logo a seguir.
Ao meter-se na faixa (única
naquela zona) do IP3, terá acabado por ser abalroado pela carrinha, que não
terá tido tempo de travar. Acabou projectado e “enfaixado” entre o camião
carregado de madeira e o rail lateral da via, sendo arrastado mais de 50
metros, entre a entrada do IP3, em Penacova, e o local onde ficou imobilizado.
Aliás, a própria carrinha ficou
encaixada na traseira do camião, numa amálgama que dificultou o trabalho dos
bombeiros, como confessou Vasco Viseu.
«Deu muito trabalho», afirmou o
segundo comandante dos bombeiros de Penacova, adiantando que o modo como o
carro – um Volkswagen Polo – ficou encaixado entre o camião e o rail e o facto
de não haver muito espaço, nem do lado do condutor, nem do pendura, obrigou os
bombeiros a arrancarem o tejadilho do carro para permitir a retirada dos
feridos.
O responsável adiantou que o
casal, apesar de feridos graves, não correriam risco de vida, queixando-se o
condutor de dores no tórax, para além de ter escoriações na cabeça. Os dois
feridos graves e também o ligeiro (condutor da carrinha) foram transportados
para os Hospitais da Universidade de Coimbra para observações.
No local estiveram 22 elementos
(18 dos Bombeiros de Penacova, dois da VMER de Coimbra e dois da SIV de
Arganil), apoiados por sete viaturas, para além de elementos do Destacamento de
Trânsito da GNR, que desviaram o trânsito, junto ao nó de Penacova – onde o IP3
esteve cortado no sentido Coimbra-Viseu durante algumas horas -, pela EN235. O
trânsito retomava, depois, ao IP3 junto ao Nó de Miro.
Ana Margalho – Diário de Coimbra