DESPORTO – André Rafeiro conquistou o Grande Prémio do Mondego

0
4


Uns heróis! Os pelotão de
juniores que no passado dia 17 de julho foi para a estrada percorrer os 82,5 km do Grande Prémio do Mondego (Coimbra-Penacova-Coimbra) mostrou a fibra dos ciclistas profissionais
para, debaixo de um sol abrasador, dar o seu melhor numa prova dura e da qual
André Rafeiro (Bairrada) saiu como grande vencedor. Levou a camisola amarela
uma vez que venceu a etapa única, mas também arrecadou a geral de “montanha” e
as “me tas volantes”.
Uma “ajuda” fundamental para o
vencedor foi mesmo o campeão nacional e colega de equipa João Almeida que, de
resto, cortou a meta de mão dada com o dono do dorsal 73 ao final de 2:11’21
horas. Ambos contribuíram de forma preponderante para a vitória na geral por
equipas da Bairrada.
A 55 segundos ficou Jorge Alves
(Silva & Vinha-ADRAP Sentir Penafiel) que fechou o pódio em Coimbra.
A organização fez um balanço
muito positivo e, quiçá, a 2.ª edição, em 2017, poderá subir de escalão e
aumentar o número de dias.
«Felizmente, correu bastante bem.
Era uma prova muito difícil, não só pelas subidas, mas também pelas descidas
vertiginosas, nomeadamente na chegada a Coimbra com curvas apertadas» referiu
Sérgio Aidos. O vice-presidente da organizadora Associação de Ciclismo da Beira
Litoral (ACBL) lamenta «o acidente, felizmente sem gravidade, numa curva em
cotovelo» e «o extremo calor também não ajudou», mas garante que «os juniores
portaram-se muito bem». Para Sérgio Aidos, esta prova «tem uma beleza ímpar e
uma paisagem linda», fazendo votos para que regresse à estrada em 2017. «Parece-me
que para o ano até se pode realizar num escalão superior, em elites e sub-23.
Seria muito interessante porque o distrito de Coimbra merece uma prova grande
como estas. Quem sabe se com dois dias, que é muito mais interessante, e todos
juntos poderemos fazer uma prova de renome nacional», frisa o dirigente da
ACBL.
Autarquias satisfeitas
Presentes na festa do ciclismo em
solo conimbricense estiveram os representantes das autarquias envolvidas.
«Julgo que desde 2008 que não se
realizava nada deste tipo, a última passagem de ciclismo de estrada terá sido
na Abimota 2008 e apesar do concelho de Coimbra não ter clubes a praticar esta
modalidade, o objectivo foi promover o ciclismo», começou por dizer Carlos
Cidade.
O vereador do pelouro do Desporto
da autarquia de Coimbra destacou «o percurso com alguma tecnicidade e exigência»
que era seu desejo e cumpriu-se. Carlos Cidade frisou ainda os projectos que o
município está a desenvolver em prol da comunidade, tais como as ciclovias. «Em
preparação está a instalação da pista de BMX junto à estação de Coimbra B, na
zona do Bolão», destacou.
Também para Penacova esta foi uma
iniciativa «importante». «Coincidiu com as festas do município e para nós
também é uma forma de promovermos o investimento da Câmara na área dos
circuitos de BTT, do trail-running e nos desportos de aventura» referiu João
Azadinho. O vice-presidente da autarquia penacovense destaca a promoção feita
pela prova ao passar «pelas estradas de Penacova e em particular na estrada
verde que liga o rio à serra».
Uma “prova dura”, com muito calor e a importância do trabalho de equipa
André Rafeiro, de 18 anos, era um
atleta feliz no final de uma «prova dura, ainda por cima com calor que estava».
«Correu bem, ganhei as três camisolas. Foi a minha segunda vitória e logo
seguidas», disse o vencedor. O “camisola amarela” agradeceu ainda a ajuda do
colega João Almeida e já centra atenções na próxima prova. «O próximo objectivo
é a Volta a Portugal, fazer o melhor possível e ajudar a equipa», concluiu.
Ricardo Ferreira Santos – Diário de Coimbra