ACIDENTE – Homem de 85 anos morreu debaixo de tractor em Monte Redondo

0
2


É mais uma morte a engrossar o
vasto lote de vítimas provocadas por acidentes com tractores em Portugal. Ontem, em Monte Redondo, na
freguesia de Figueira de Lorvão, no concelho de Penacova, Manuel do Rosário
Frade não resistiu aos ferimentos provocados por mais um acidente com máquinas
agrícolas.
O homem de 85 anos, residente em Monte Redondo, ficou
debaixo do tractor, que não estava equipado com o arco de segurança, acabando
por morrer no local. A hora a que terá acontecido o acidente não é conhecida,
embora o alerta para o socorro tenha sido dado por volta das 19h00.
O Diário de Coimbra apurou que
Manuel do Rosário Frade costumava usar o tractor como meio de transporte para
se deslocar para terrenos agrícolas que ainda amanhava.
Ontem, a mulher foi numa excursão
a Fátima e a vítima não apareceu, como era habitual, para a ir buscar, razão
pela qual foi dado o alerta, que acabou por confirmar o pior cenário. O
acidente aconteceu num declive de um caminho que dava acesso a um terreno
agrícola, propriedade da vítima, que, à hora do acidente, se encontraria
sozinho no local.
«O tractor virou-se num caminho
agrícola e o senhor ficou debaixo do tractor», revelou António Simões, com o
comandante dos Bombeiros Voluntários de Penacova a declarar que «o óbito foi confirmado
no local».
Segundo foi possível apurar,
Manuel do Rosário Frade era casado e pai de dois filhos. Contactado pelo Diário
de Coimbra, Pedro Assunção revelou que o sénior era «uma pessoa activa», com o
presidente da Junta de Freguesia de Figueira de Lorvão a acrescentar que a
vítima «ainda lavrava as suas terras». De seguida, o autarca afirmou que Manuel
do Rosário Frade «ainda conduzia e ia todos os domingos à missa com a esposa».
Para o local do sinistro, os
Bombeiros Voluntários de Penacova mobilizaram uma ambulância e um veículo de
desencarceramento, que, no entanto, não chegou a ser usado, uma vez que o homem
já se encontrava cadáver. Em
Monte Redondo
, estiveram também sete operacionais dos
Voluntários de Penacova, além de militares da Guarda Nacional Republicana. O
corpo foi transportado para o Instituto de Medicina Legal para ser autopsiado.

João Henriques – Diário de Coimbra