PATRIMÓNIO – Região de Coimbra defende investimentos do Governo no complexo de Conímbriga

0
1


Os 19 municípios que constituem a
Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC), na qual se incluí o município de Penacova, assinaram uma missiva
de apoio à realização de investimentos no complexo das ruínas de Conímbriga. No
documento, assinado na quinta-feira, os autarcas da CIMRC comprometeram-se «a
interceder e a manifestar junto do Ministério da Cultura o interesse regional e
nacional da segunda fase do projecto Desenvolvimento Infraestrutural do
Programa Museológico de Conímbriga».
A Câmara de Condeixa-a-Nova
estabeleceu, em Junho de 2015, um protocolo de colaboração com a Direção Geral
do Património Cultural para a concretização da segunda fase daquele projecto,
nomeadamente a ampliação da área visitável das ruínas, a criação de condições
de acesso ao anfiteatro e novos percursos de circulação de público.
«Para a concretização deste
protocolo, para além do esforço financeiro do município de Condeixa, importa
ter a vontade política do Governo, nomeadamente do Ministério da Cultura, para
a cativação da verba nacional necessária à concretização do projecto, cujo
valor global orça em cerca de três milhões de euros, co-financiados por fundos
comunitários», explicou o presidente da Câmara, Nuno Moita, citado no
comunicado da autarquia.

Segundo o autarca, «é fundamental
que o Governo perceba a dimensão e o impacto que estes investimentos,
reclamados há mais de 20 anos, representam para o desenvolvimento cultural,
turístico e económico não apenas do concelho, mas sobretudo de toda a Região
Centro e do país».
«A Estação Arqueológica e o Museu
Monográfico de Conímbriga são, sem dúvida, o “ex libris” do município de
Condeixa-a-Nova, sendo o Museu mais visitado em Portugal fora da região de
Lisboa, com cerca de 100 mil visitantes por ano. Porém, aquilo que está
disponível para os visitantes representa apenas 1/6 do território», sublinha.
Na reunião descentralizada do
conselho intermunicipal da CIM-RC realizada na quinta-feira em Condeixa, os
autarcas aprovaram, de acordo com a ordem de trabalhos, o ajuste directo para a
criação da “Rede de oferta turística em espaços naturais – Valorização dos
corredores de Património Natural da Região de Coimbra”, que representa um
investimento de 750 mil euros e que foi alvo de candidatura ao Programa Operacional
Regional do Centro 2014-2020. 

Trata-se de um projecto que visa a «valorização
do património natural e a afirmação da região como destino turístico de
excelência, promovendo, dinamizando e qualificando a visitação a Áreas
Classificadas, por via da melhoria das condições físicas de apoio a essa visita
e sensibilização para a preservação e conservação dos mesmos valores naturais»,
adianta a nota de imprensa. Foi ainda «aprovada a aquisição de serviços
Programa Empreendedorismo nas Escolas da Região de Coimbra para o 1.º ciclo
permitindo que este programa seja alargado a este nível de estudos pela
primeira vez»

Os autarcas também aprovaram por unanimidade dois votos de solidariedade para com os Municípios e para com a Região Autónoma da Madeira afetados recentemente pelos incêndios florestais.