CIÊNCIA VIVA – 2,5 milhões de euros para a prevenção e controlo de infecções hospitalares

0
3


Durante os próximos 3 anos, mais de 80
investigadores vão estar empenhados a dar respostas em tempo real às
necessidades específicas dos hospitais de Lisboa, no que diz respeito a doenças
infecciosas. Depois da implementação bem sucedida do projeto em Lisboa,
poder-se-á alargar ao resto do país.

Este projeto une três dos principais
institutos de investigação portugueses em microbiologia, o Instituto de
Tecnologia Química e Biológia (ITQB NOVA), Instituto de Medicina Molecular
(IMM) e o Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), para enfrentar a necessidade
urgente de soluções efetivas para a prevenção e controlo de doenças infeccionas
e a multirresistência a antibióticos, que é um problema emergente em Portugal e
no Mundo.

Coordenado por Raquel Sá-Leão e Mónica Serrano
do ITQB NOVA MostMicro, o projecto ONEIDA pretende estabelecer uma rede
inovadora de investigadores e instituições de investigação com a capacidade de
dar resposta muito rápida a questões relativas aos patogénios que infectam
doentes que chegam aos hospitais, fazendo a caracterização biológica minuciosa
de cada estirpe em termos de conteúdo genético e proteico. Dessa forma, o corpo
clínico terá respostas rápidas e completas sobre o perfil do patogénio que
pretende eliminar, o que permite escolher o fármaco e antibiótico mais adequado
a cada caso. Desta forma, conseguir-se-á dar resposta mais rápida e adequada a
cada caso, o que diminuirá a morbilidade e evitará o uso inadequado de
antibióticos. Ao mesmo tempo, a comunidade científica poderá fazer um estudo
mais rigoroso e com mais dados sobre os patogénios que infectam pessoas e
animais em Portugal.

Este projeto vai também fazer chegar o
conhecimento gerado às entidades com responsabilidades e interesses em Saúde
Pública: as instituições de saúde, políticos, a comunidade científica e claro toda
a comunidade, ao mesmo tempo que contribui para a formação de novos
investigadores neste campo.

O projeto ONEIDA foi financiado pelo Portugal
2020, um programa que reúne 5 Fundos Europeus Estruturais e de Investimento –
FEDER, Fundo de Coesão, FSE, FEADER e FEAMP – com o objetivo de alinhar as
grandes orientações estratégicas nacionais e europeias para o desenvolvimento
económico, social e territorial que se pretende promover em Portugal até 2020.

Sobre os parceiros

ITQB NOVA
O Instituto de Tecnologia Química e Biológica
António Xavier (ITQB NOVA) é uma unidade orgânica da Universidade Nova de
Lisboa. A sua missão é a de fazer investigação científica e promover formação
avançada em Ciências da Vida, Química e Tecnologias associadas, para benefício
da saúde humana e do ambiente. Conta actualmente com 58 grupos de investigação
e 460 investigadores, e está sedeado em Oeiras. Para mais informações www.itqb.unl.pt

IGC
Fundado pela Fundação Calouste Gulbenkian, o
Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) é um centro de investigação que se dedica
à investigação na área da biologia e ao ensino pós-graduado. Certa de 400
pessoas trabalham no IGC, implementando um programa cientifico multidisciplinar
num ambiente desenhado para encorajar interações e promover sinergias entre
cientistas. O IGC também tem programas de Doutoramento explicitamente
direccionados para fomentar a criatividade e o pensamento científico
independente, bem como um programa de comunicação de ciência que visa promover
os valores da ciência na sociedade. 
www.igc.gulbenkian.pt

IMM
O Instituto de Medicina Molecular (iMM
Lisboa), é um dos principais institutos de investigação em Portugal que oferece
um ambiente científico vibrante, com o objetivo de promover a investigação
biomédica básica, clínica e de translação. A missão do iMM é melhorar a saúde
humana através do estudo dos mecanismos da doença, desenvolver novas formas de
diagnóstico e abordagens terapêuticas.
Para mais informações visite o site do iMM
Lisboa www.imm.medicina.ulisboa.pt 

© 2016 – Ciência na Imprensa
Regional / Ciência Viva