SÃO PEDRO DE ALVA – Mais de 2000 pessoas afluíram à III Edição do Festival de Sopas e Doces

0
4
Se as duas anteriores edições foram de referência, a 3.ª Edição do
Festival de Sopas e Doces de S. Pedro de Alva, realizado no passado
fim-de-semana (12 e 13), pode dizer-se que não ficou atrás, pois a sua
organização, com o selo da Secção de Natação da Casa do Povo de S. Pedro de
Alva, segundo nos informou, foram consumidos mais de 1.800 sopas, algumas
acabando por esgotar, não falando da bolaria que em cada espaço havia, da mais
variada qualidade e feitio, que teve também o seu consumo forte. Pode dizer-se
que no primeiro dia estiveram presentes mais de 600 pessoas. Além da boa sopa e
de bons doces, também houve a boa música tradicional, onde a concertina foi
rainha e senhora.


«Juntos conseguirmos manter as
colectividades desta nossa União de Freguesias com um espírito vivo, dinâmico e
salutar»
Antes de serem servidas as sopas, e já
com as autarquias e associações representadas presentes, foi a presidente da
Secção de Natação, Lígia Fonseca, a chamá-las ao palco, a fim de lhes serem
entregues os diplomas de presença e dar-lhes as boas-vindas. Nas suas palavras
ficou a certeza de que a consolidação da iniciativa e o seu impacto continua a
ser forte na comunidade, bem como a cooperação, entreajuda e unidade que existe
no movimento associativo, frisando a presidente da Direcção da Secção de
Natação que «este evento caracteriza-se sobretudo pela unidade, pela vontade de
crescermos juntos e de juntos lutarmos contra o anti associativismo», tanto
mais que nos tempos que correm «os interesses de grande parte da nossa
sociedade se orientam segundo princípios de individualismo e indiferença e de
consumo massivo» e, por isso, «torna-se fundamental a partilha, a colaboração e
o estreitar de relações entre associações, buscando uma sociedade mais
saudável, afável e feliz», tanto mais que «este nosso evento é a prova viva e
eficaz de que isso é possível e que juntos conseguimos manter as colectividades
desta nossa União de Freguesias com um espírito vivo, dinâmico e salutar». Mas
para que este espírito de liderança aconteça é necessário muito trabalho, muito
querer, ter por detrás boas equipas e neste sentido citou os seus colegas de
direcção – Susana Rodrigues, Francisco Fonseca, Alice Correia, Isabel Basso,
Luísa Abranches e Elisabete Martins – bem como as 15 que, fora da direcção, dão
o seu apoio: Paula Coimbra, Belita, Graça, Maria, Adosinda, Anália Daniela,
Rita, Júlia Paula, Cristina e Nela. Também não deixou de agradecer ao
presidente da Casa do Povo, pelo apoio, à União de Freguesias, pela oferta de
200 taças e colheres para o festival, ao Município de Penacova, ao Banco Bic, à
Fundação Mário da Cunha Brito, pela oferta de camisolas para a Secção de
Natação.
As palavras incentivadoras
O presidente da Casa do Povo de S.
Pedro de Alva, Bruno Trindade, salientou a partilha que tem existido neste
evento, realçando o papel da Secção de Natação, que muito se tem preocupado na
actual situação porque passa.
Da parte da União de Freguesias, o seu
presidente Vítor Cordeiro deixou algumas notas de que estes convívios são
importantes para as pessoas, os quais se fazem com afinco para serem realidade,
que as pessoas quando trabalham e se dedicam «as coisas são possíveis», tanto
mais quando há proximidade entre a autarquia e as colectividades e por isso,
com «o nosso apoio tudo se fará». Deixou uma palavra de apreço às associações
ali representadas, pois «se não fossem elas, com os seus produtos endógenos,
este evento não se realizaria», e deixou vincado de que o associativismo deve
continuar, pois «ele é a expressão promotora da nossa terra, do nosso
concelho».
Já o vice-presidente da Câmara Municipal de
Penacova,
Dr. João Azadinho, considera que a Secção de
Natação é um parceiro privilegiado que mais trabalha no alto concelho, «onde há
vida», e são estes convívios que fazem com que as pessoas saiam de casa e se
unam «e com elas se faça um bom entendimento».

As associações presentes


Associação São Paio Mondego
E ao mencionar cada uma das associações presentes, também
mencionamos qual a sopa que cada uma cozinhou e serviu, onde todas também
tiveram a sua especialidade em doçaria:
Filarmónica da Casa do Povo de S. Pedro de Alva (Sopa de Peixe),
Casa do Povo de S. Pedro de Alva (Creme de Cogumelos), Associação de
Melhoramentos Cultura, Turismo e Progresso de Hombres (Sopa da Pedra), Grupo de
Jovens Onda Jovem do Alva (Sopa da Juventude), Secção de Natação da Casa do
Povo de S. Pedro de Alva (Canja de Galinha), Associação Desportiva e Recreativa
de Laborins (Sopa à Lavrador), Associação Cultural e Desportiva de S. Paio do
Mondego (Sopa de Grão de Bico), Rancho Folclórico Cultural e Etnográfico da
Casa do Povo de S. Pedro de Alva (Caldo Verde) e Associação Cultural e
Desportiva do Sobral (Sopa de Legumes).
José Travassos de Vasconcelos – A Comarca de Arganil