TURISMO – EN2 é oportunidade para todo o interior

0
2
O
presidente da Entidade Regional de Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado,
afirmou ontem no programa “Portugal em Direto”, da rádio Antena 1, que o
projecto de valorização da Estrada Nacional (EN) 2 representa um «virar de
página» e é por isso uma «oportunidade para criar um novo posicionamento do
interior» do país no panorama nacional e ibérico.
Num
programa emitido em directo na sede da ADICES – Associação de Desenvolvimento
Local, em Santa Comba Dão, as características e potencialidades dos 739 quilómetros da
EN2 – que liga o Portugal de Norte a Sul e é a mais extensa estrada histórica
da Europa – foram tema de conversa.
Pedro
Machado considera que criação de uma rota turística ao longo da EN2 é algo
«emblemático para a oferta Portugal», uma vez que a via apresenta «diversidade
e extensão» que se acumulam com a «gastronomia, a história e a natureza»,
formando-se assim um forte «apelativo» para os turistas.
O
presidente da entidade regional de Turismo acredita que o sucesso do projecto
depende e muito da «capacidade de envolver agentes económicos». «A recuperação
deste percurso não é exclusiva dos autarcas, tem que envolver empresários e
construir produto turístico», sustentou, admitindo que a «tendência do turismo
internacional é o afastamento dos destinos clássicos de sol e praia para se
procurar o ‘coração’ do país», regiões em que as acessibilidades são «condições
chave» para atrair turistas e nas quais é possível, graças ao desenvolvimento
do sector – a região Centro cresceu 14% em proveitos turísticos entre Janeiro e
Setembro deste ano – «aumentar a competitividade e alavancar o emprego».
“Eixo
estratégico”
Também
presente como convidado esteve o coordenador-adjunto da Unidade de Missão para
Valorização do Interior, João Paulo Catarino, que começou por salientar que
«Portugal é hoje em dia um destino turístico de excelência no contexto
mundial«. «Lisboa, Algarve e Porto têm um número de turistas assinalável e o
desafio é fazer com que esses turistas percorram os territó- rios do interior»,
sublinhou o antigo autarca de Proença-aNova.
Certo
de que a EN2 «é um eixo estratégico para o desenvolvimento e valorização do
interior», João Paulo Catarino acredita que «o país precisa urgentemente de
revitalizar dois terços do seu território» mas para isso é preciso «acelerar»
ainda mais o processo de atracção turística, que poderá passar pela «criação de
pacotes turísticos conjuntos para que os turistas tenham vantagens mais
competitivas em percorrer o país».
André
Antunes Pereira
– Diário de Coimbra