SOLIDARIEDADE – Comunidade de Penacova dá abraço solidário aos bombeiros

0
1


Separados por milhares de
quilómetros, em continentes diferentes, o mesmo gesto de solidariedade e o
mesmo destinatário: os Bombeiros Voluntários de Penacova. Do lado de lá do
Atlântico, em Newark, nos EUA, foi o 25.º encontro da comunidade penacovense que
ali está radicada. Aqui, em terras de Lorvão e Penacova, foi o primeiro evento
promovido pela Juventude Desportiva de Monte Redondo, da freguesia de Figueira
de Lorvão. Momentos de solidariedade e afecto, que ilustram o carinho e atenção
que os bombeiros suscitam, «cá e lá».

«Cá, como lá, os portugueses, os
penacovenses são os mesmos e os bombeiros os personagens centrais desta
história, uma história que, por vezes é triste, trágica, de morte… mas também
há histórias de vida, de renovação, de esperança. Às vezes actuamos no limite,
mas também somos e continuamos a ser a esperança de muita gente que, por isso,
protagoniza estes momentos de solidariedade». Palavras de António Simões,
comandante dos Voluntários de Penacova que, em Newark e Monte Redondo, partilhou
afectos, distribuiu abraços e deixou bem expressa a gratidão dos bombeiros.

«Mais do que o valor, o dinheiro,
importa o gesto, o reconhecimento, e é isso que dá ânimo aos nossos bombeiros»,
considera, salientando que, se na sua maioria os «bombeiros são voluntários»,
do «lado de lá», de quem organiza este tipo de iniciativas, «também estão
voluntários», que criam colectividades, lideram associações e «promovem estes
momentos de partilha, de encontro». Um «espírito bem português», no entender do
comandante, que nos EUA está bem patente, com a existência de um número
significativo de colectividades, «construídas a pulso».

António Simões regressou, no
final da semana, dos EUA, onde, juntamente com o presidente da Câmara de
Penacova, Humberto Oliveira, e o presidente da direcção da Associação, Paulo
Dias, participou no 25.º encontro da comunidade penacovense. Ao longo de 25
anos, as receitas do jantar, realizado no Clube Português de Newark, foram
quase sempre – duas ou três excepções – canalizadas para os Bombeiros de
Penacova. Um desígnio que se voltou a cumprir, com a comitiva a trazer um
cheque de seis mil euros. Um valor que se soma aos 1.700 euros reunidos pela
colectividade de Monte Redondo.
Sem escamotear a importância do
dinheiro, destinado a adquirir equipamento de protecção, António Simões
enaltece o «espírito» que subjaz a estes eventos e, sobretudo, o «carinho» que
«demonstra pelos bombeiros».

Os exemplos multiplicam-se

A preocupação de ajudar os bombeiros é uma nota comum,
transversal às colectividades do concelho de Penacova. O comandante afirma que
muitas colectividades promovem festas e, dos proventos obtidos, reservam «um
donativo para os bombeiros». António Simões exemplifica com outras duas
situações recentes, protagonizadas pela União Popular e Cultural da Rebordosa e
pelo Grupo de Jovens de São Mamede. Recorda, ainda, as festas de Chelo, no ano
passado ou, há dois anos, uma festa promovida por uma comissão de cidadãos,
realizada 
Manuela Ventura
Diário de Coimba