FUTEBOL DISTRITAL – Árbitro agredido após “chuva de cartões”

0
3


DIVISÃO DE HONRA

O árbitro Telmo Galvão foi ontem
agredido, no final do encontro entre o Vigor e o União FC, que acabou com a
vitória dos locais.

O jogo, que se previa muito
disputado, ficou marcado por três expulsões e com ambas as formações a apontarem
erros à equipa de arbitragem.

No final, os ânimos exaltaram-se
e o árbitro acabou agredido com uma cabeçada, pelo “adjunto” dos visitantes,
sendo depois transportado aos Hospitais da Universidade de Coimbra, segundo foi
possível apurar, com dois dentes partidos.

O alegado agressor, que faz parte
da equipa técnica do União FC, foi detido para identificação, pela Polícia de
Segurança Pública, e será hoje presente a tribunal, pelas 10H00.

No que diz respeito ao jogo propriamente dito, a primeira oportunidade nasce aos 27’ dos pés de Valada
através da marcação de um livre direto que obriga o guarda-redes dos visitantes
a ter um boa intervenção.

Passados poucos minutos Rafa
inaugura o marcador de grande-penalidade, sem hipóteses para Ricardo. Com o
aproximar do final da primeira parte Valada ainda consegue obrigar o guardião
de Penacova a brilhar.

Já nos segundos 45 minutos,
Valada aumenta a vantagem no marcador novamente de penalti, o mesmo que tem nos
pés por várias ocasiões o 3-0. Apesar do golo e das várias oportunidades de
valada, o protagonismo do jogo vai para o árbitro que levanta as cartolinas por
16 vezes.


1ª DIVISÃO DISTRITAL – Mirandense afasta Mocidade

O conjunto do Mirandense deu
resposta frente ao Mocidade, desta vez a contar para a Taça AFC, vingando-se
assim da pesada derrota em casa, da semana passada, frente ao Lagares da Beira,
para o campeonato.

Os 11 eleitos por Hugo Vaz,
entraram com vontade de resolver a partida desde o primeiro minuto. Bem
organizados e com um futebol prático, facilmente chegavam à área adversária. E
aos 11’, beneficiam de uma grande penalidade, que Serginho não conseguiu
converter, com mérito para o guardião do Mocidade. Ainda assim, os locais não
desmoralizaram e mantiveram a identidade com que entraram em campo.

Com toda a naturalidade, o grupo
de Miranda do Corvo chegou à vantagem, com João Pedro a aproveitar um
cruzamento ao segundo poste, dominando de peito e finalizando com um bom
remate. Sem tempo a perder, Jorginho, um minuto depois, dilatou a vantagem,
ainda que com alguma sorte, pois o seu remate sofreu um desvio de um defesa,
traindo Hélder.

A vencer por 2-0, aos 20’, a
equipa alviverde iniciou uma fase de gestão, aguardando o intervalo, porém,
foram surpreendidos com uma grande penalidade a favor dos forasteiros, que
Marco não desperdiçou, levando a partida para o descanso, com a vantagem
mínima.

À imagem dos minutos iniciais do
primeiro tempo, os da casa procuraram rapidamente o golo da tranquilidade, que
acabou por surgir, à passagem do minuto 10 da segunda parte, com Jorginho a
bisar, fazendo valer a bela jogada de Medina.

Com uma vantagem mais
confortável, e sempre por cima dos visitantes, voltou a fase de gestão da
partida, no entanto, estes foram novamente surpreendidos, com Chico a reduzir
para 3-2, golo esse, que veio acordar a equipa do Mocidade, que procurou a todo
o custo a igualdade, mas a concentração da equipa do Mirandense levou a melhor,
não havendo alteração no resultado até soar do apito final.

Num belo jogo de futebol, onde o
trio de arbitragem não correspondeu ao espetáculo que as equipas deram,
cometendo vários erros no capítulo técnico e disciplinar, venceu de forma justa
a equipa mais esclarecida, que soube marcar e gerir o resultado.


Pacheco Lopes | Bruno Gonçalves – Diário As Beiras