JUSTIÇA – Autor de mais de uma dezena de furtos em habitações julgado por 16 crimes

0
0
O Tribunal Judicial de Penacova
começa hoje a julgar um indivíduo residente nos Casais do Campo, Coimbra, pela
alegada autoria de um furto numa residência na estrada do Sanguinho, Carvoeira,
em 13 de Abril de 2015, de onde terá subtraído peças em ouro no valor de mais
de mil euros.

O indivíduo, que completou 26
anos em Novembro passado, contudo, vai comparecer, dias depois, no Palácio da
Justiça, em Coimbra, para responder por outros 16 crimes, ocorridos no mesmo
ano, a maior parte deles furtos em habitações da cidade, mas também dois roubos
a casas de venda de ouro, com recurso a uma arma branca.

De acordo os inquéritos elencados
pelo Ministério Público (MP), o homem começou a sua senda criminosa, no dia 10
de Fevereiro de 2015, quando acompanhou o outro arguido neste processo, um
indivíduo de 47 anos, numa cobrança coerciva de 30 euros. No Multibanco da
Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais, a vítima, depois de colocar o
código secreto, foi agredido e os dois atacantes fizeram o levantamento de 200
euros.

Tirando esta situação, todos os
casos dizem respeito ao indivíduo de 26 anos, que, de acordo com a acusação,
realizou, dois assaltos a lojas de compra de ouro, no dia 24 de Abril, primeiro
na Avenida Fernão de Magalhães, onde, apesar da ameaça de uma faca, teve de
fugir, perante a reacção do assaltado, bem como, poucos minutos depois, na Rua
Eduardo Coelho, de onde saiu com alianças em ouro, no valor de sete mil euros.

Antes, no dia 16 de Abril, o
indivíduo, sempre por escalamento, já tinha entrado numa residência na Rua
Guerra Junqueiro, de onde subtraiu vário material informático, roupa e uma
televisão. Continuou, no dia 18, com nova incursão na Rua Carminé Miranda, levando
um computador e um telemóvel.

A Rua do Cabeço do Vento, no Lôgo
de Deus, foi o destino do dia 21 de Abril, de onde desapareceram dois tablets,
um fio de outro e um anel em prata, seguindo-se, antes da “férias”, outra casa,
na Rua da Escola Agrícola, de onde foram subtraídos um computador e um
telemóvel.

Neste caso específico, ao ser
surpreendido pelo morador, saltou para a rua e deixou cair o telefone. Interpelado
pela vítima, ameaçou-o com uma faca e levou o produto do roubo.

A acção parou até à madrugada do
dia 2 de Setembro de 2015, quando, de acordo com o Ministério Público, o homem
terá voltado a entrar numa habitação, desta feita na Rua João Pinto Ribeiro,
levando vários artigos, de entre os quais a chave de carro, que também, usou
para sair do local.

No dia 4, pela madrugada, a acção
continuou na Rua Dr. Daniel de Matos. Furtados vá- rios bens de uma habitação,
também a chave do carro serviu para arranjar transporte, que tentou reutilizar,
mais tarde, pelas 11h45, na Travessa do Cruzeiro, mas foi surpreendido pela PSP
e fugiu.

Nesse mesmo dia, cerca das 15h30,
introduziu-se noutra casa, na Rua do Arco, em S. Martinho do Bispo, furtando
várias jóias, fugido com os bens ao ser descoberto. Pouco antes, pelas 15h00,
numa na Rua do Covões, viu frustrado o furto de um computador, ao ser
surpreendido em flagrante.

O dia 6 de Setembro, o último da
listagem da acusação, foi o mais activo, com pelo menos cinco casas
“visitadas”, duas na Rua Joaquim António Aguiar, bem como nas ruas do Loureiro,
S. Salvador e J, Jacinto. Em, pelo menos três delas, aos ser surpreendido, não
conseguiu os seus intentos, fugindo sem nada levar.

O homem, que está em prisão
preventiva, no Estabelecimento Prisional de Aveiro, responde por dois crimes de
roubo, um tentado, 11 furtos qualificados, dois na forma tentada, dois furtos
simples e um de violência após subtracção.
José Carlos Salgueiro
Diário  de Coimbra