CIÊNCIA VIVA – Novo método de detecção de açúcar em plantas

0
2
As plantas usam sinalizadores para poderem
comunicar entre diferentes partes do organismo, por vezes através de moléculas
que são o resultado da degradação de outras – a que se chamam metabolitos. O
açúcar trehalose-6-fosfato (T6P) é um desses compostos, que as plantas usam
para controlo o crescimento quando detectam uma crise de falta de água ou
nutrientes. Para os investigadores de ciências de plantas, seria importante
estudar de que forma este sinalizador funciona e em que células actua, mas a
sua quantidade é muito baixa para os métodos de detecção que se usam
actualmente em laboratório.

As
equipas dos investigadores Carla António e Pedro Fevereiro do ITQB NOVA, em
parceira com a Rede Nacional de Espectrometria de Massa (RNEM), conseguiram
desenvolver uma nova metodologia baseada em cromatografia líquida e
espectrometria de massa que permite separar o açúcar T6P dos restantes
componentes da matriz complexa da planta e medir com rigor quantidades muito
baixas desta molécula. Os resultados foram publicados na revista científica
Journal of Chromatography A.

“Este
trabalho representa um avanço significativo no campo das ciências da separação,
e aumenta a gama de metodologias analíticas sensíveis para medir T6P, um
metabolito de sinalização de stress muito importante nas plantas”, conta Carla
António, do ITQB NOVA, a investigadora responsável pelo estudo. “Este trabalho
é 100% feito em Portugal, o que nos enche de orgulho, e só possível pela
atitude colaborativa da RNEM que nos permitiu aceder ao equipamento necessário
para atingir estes resultados”.


Gabinete de Comunicação – ITQB NOVA

© 2017 – Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva