CIÊNCIA VIVA – Tecnologia para o rastreio ocular a diabéticos

0
6
A Universidade de Coimbra foi desafiada pela
Retmarker, spin-off do Grupo Critical, focada na área de oftalmologia, a
encontrar soluções para um problema crítico: criar uma tecnologia automática
capaz de analisar de forma mais eficiente, imagens da retina, em fotografias
com características muito variáveis e, por vezes, de baixa qualidade como as
que são obtidas em Rastreios de Retinopatia Diabética.

Em traços gerais, a colaboração visou integrar, na
solução Retmarker Screening, um novo método automático de deteção de lesões na
retina. Este método foi desenvolvido pela equipa de Isabel Narra Figueiredo, do
Departamento de Matemática, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da
Universidade de Coimbra, no âmbito de um projeto de investigação financiado
pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), e com o objetivo de vir a
ser utilizado em Programas de Rastreio de Retinopatia Diabética.

Segundo Isabel Narra Figueiredo, «este método
identifica automaticamente com elevado grau de fiabilidade a existência de
micro-aneurismas, hemorragias e lesões brancas, em imagens da retina, que são
os primeiros sintomas da Retinopatia Diabética».

De acordo com João Diogo Ramos, Diretor Executivo da
Retmarker: «ao longo dos últimos anos foram realizados estudos complementares à
tecnologia desenvolvida pela UC, tanto por nós (ex: em Portugal e no Brasil),
como em estudos independentes (ex: UK) e que confirmaram a eficiência deste
novo método automático de rastreio que atualmente integra a nossa oferta».

O Retmarker Screening é uma tecnologia portuguesa que
se tem destacado na implementação de programas eficientes de rastreio oculares
a diabéticos. Na prática, o Retmarker faz uma primeira despistagem automática
das imagens que os pacientes diabéticos devem realizar todos os anos para
evitarem complicações a nível ocular decorrentes da Retinopatia Diabética.

A Retinopatia Diabética é uma complicação da diabetes
e a principal causa de cegueira evitável no Mundo Ocidental. É uma doença
silenciosa (sem manifestações de sinais ou sintomas) e de evolução lenta até
atingir uma fase avançada. A grande maioria dos casos de cegueira pode ser
evitada com um bom controlo metabólico e um tratamento atempado (que pressupõe
a identificação precoce das lesões na retina).

Segundo o responsável da Retmarker, «menos de 10% dos
diabéticos necessitam de ser referenciados para consulta de especialidade.
Existe por isso um elevado investimento de tempo e recursos na identificação
dos casos relevantes e este é um problema onde a tecnologia pode ajudar e que
justifica a aposta da Retmarker».
Cristina Pinto – Universidade
de Coimbra

© 2017 – Ciência na Imprensa Regional
/ Ciência Viva