RIO MONDEGO – Unidade Especial de Operações Subaquáticas da GNR resgata corpo de pescador

0
2


Os esforços de mais de meia centena
de bombeiros, bem como elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR), no
sentido de encontrar Adriano Jegundo, desaparecido desde a hora de almoço de
anteontem, no rio Mondego, no Ramalhal, deram frutos ontem, já depois das
16h00, com a descoberta do corpo, na zona da Foz do Caneiro, no concelho de
Penacova.

O homem, de 81 anos,
residente em Figueira de Lorvão, tinha o hábito de pescar trutas e usava botas
com perneira até ao peito, o que terá contribuído para o trágico desfecho.

Anteontem, tinha combinado
pescar com um amigo, que, chegado ao local, poucas centenas de metros a jusante
do açude de Louredo, apenas encontrou a viatura da vítima e a sua cana de
pesca.

Deu o alerta para as
autoridades por volta das 14h00, tendo sido encetada uma busca pelo rio, até à
praia Fluvial dos Palheiros, já no concelho de Coimbra.

Ontem, pelas 8h00, 54
operacionais dos bombeiros de Penacova, Soure, Montemor-o-Velho, Vila Nova de
Poiares e Sapadores de Coimbra, bem como elementos da GNR, bateram vá- rios
quilómetros do curso de água, com recurso a embarcações e equipas de
mergulhadores e equipas cinotécnicas.

Lutando contra uma corrente
bastante forte, os meios no terreno começaram por não ter resultados imediatos,
mas uma busca mais sistemática deu resultados.

De acordo com o major
Videira, da GNR, mergulhadores da Unidade Especial de Operações Subaquáticas,
vinda de Lisboa, fizeram buscas mais exaustivas, em locais que julgavam ter
potencial para encontrar o corpo, o que se veio a verificar pelas 16h40.

Após ter sido confirmado o
óbito pelo delegado de saúde, o corpo foi transportado para o Instituto de
Medicina Legal, onde vai ser feita a autópsia.
José
Carlos Salgueiro
– Diário de Coimbra