UNIVERSIDADE DE COIMBRA – Património Geológico para as Novas Gerações em debate no XII Congresso dos Jovens Geocientistas

0
3


Património Geológico
e o Geoturismo
 é o
tema da XII edição do Congresso
dos Jovens Geocientistas 
do
Departamento de Ciências da Terra (DCT) da Faculdade de Ciências e Tecnologia
da Universidade de Coimbra (FCTUC), a decorrer nos próximos dias 10 e 11 de março.

A
iniciativa terá lugar no Auditório
da FCTUC
, no Polo II da Universidade de Coimbra, e segundo o Diretor do
Departamento de Ciências da Terra, Alexandre Tavares, «reconhecendo-se a
importância do ano de 2017
como Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento,
 proclamado pela ONU, procura-se
estimular junto dos alunos dos ensinos básico e secundário os valores da
proteção do património natural, bem como o contributo deste para o turismo
sustentável e para o desenvolvimento societal, envolvendo-os em apresentações
orais e posters para que, no papel de jovens congressistas, adquiram novas
competências instrumentais, pessoais e sistémicas
».

A
edição de 2017, que supera o número de envolvidos de edições anteriores, junta 13 Agrupamentos de Escolas do
Ensino Básico e Secundário do país
, com 275
participantes 
inscritos.

Além
das sessões em Auditório, o congresso inclui uma exposição e Concurso de
Fotografia “Geodiversidade”, uma mostra de Minerais e Fósseis e um espaço de
divulgação dos Geoparques mundiais da UNESCO (Arouca, Terras de Cavaleiros e
Naturtejo) e dos candidatos a Geoparques – Serra da Estrela e Litoral de Viana
do Castelo.
No
dia 11 de março, no âmbito da
formação contínua de docentes dos ensinos básicos e secundário, decorrerá a
ação de formação “Património Geológico e Geoturismo”, dirigida a
professores dos grupos 230, 420 e 520.

Este
congresso assinala, ainda, «a consolidação da iniciativa Escolas Associadas
do DCT, que constitui uma forma de colaboração e partilha de recursos e
experiências entre os Agrupamentos de Escolas do Ensino Básico e Secundário e o
Departamento de Ciências da Terra da FCTUC, em prol do conhecimento e afirmação
da relevância das Geociências na sociedade atual
», conclui
Alexandre Tavares.