DESAFIO INCRÍVEL – Jean-Michel Martins ligou Paris ao Sobral num Ligier

0
1
Um Ligier JS50 L Sport foi o
companheiro” de viagem de Jean-Michel Martins entre Coigniêres, arredores de
Paris, e Sobral, em S. Pedro de Alva, no concelho de Penacova, terra natal dos
pais. Três dias foram suficiente para o luso-descendente percorrer outros
tantos países, nomeadamente França, Espanha e Portugal, num veículo sem carta e
a um ritmo que permitiu admirar paisagens sem colocar em risco quem quer que
fosse.


Com uma dose de coragem e
fôlego de persistência à mistura, Jean-Michel Martins, director-geral da
Agência Espace Automobiles de la Gare (EAG) conduziu a máquina, também
conhecida por “papa-reformas”, por caminhos secundários e nacionais.
«Foi uma aventura
extraordinária e uma experiência divinal. Mostrámos, com este desafio de
contornos singulares, que as pessoas que não possuem carta podem, e devem,
deslocar-se para qualquer lugar do mundo numa viatura desta natureza
», disse o
aventureiro de 41 anos.

Natural de Versailhes,
arredores de Paris, Jean-Michel Martins jamais esquecerá o final da expedição.
«Sinceramente, não tenho palavras para descrever o que senti à chegada ao
Sobral. Quando, mais de duas centenas de pessoas, entoaram o meu nome e com
muitas palmas à mistura, senti um enorme nó no estômago. Obviamente que não
contive as lágrimas, de satisfação, emoção e regozijo, até porque, desde
criança olhei para a aldeia dos meus pais como se cá tivesse nascido. Foi
emocionante ter sido recebido de braços abertos por gente amiga e muito humilde
que levo no coração para sempre e, por isso, vai comigo no regresso para
França
», disse o piloto-empresário.


Considerado nos últimos anos
como o representante mais bem sucedido da marca Ligier, em França, Jean-Michel
Martins demonstrou com este desafio as razões de ser o melhor, na sequência de
ter recebido o repto do fabricante de fazer algo diferente fora da sua área de
jurisdição, ou seja, além-fronteiras. «Somos líderes de mercado em viaturas sem
carta em solo francês, o que constituiu, por si só, motivo de sobra para
festejar. Naturalmente que estamos satisfeitos com o caudal de transacções
efectuadas mensalmente, mas não vamos cruzar os braços e “dormir” à sombra do
sucesso, mas sim com enorme vontade de continuar a manter os índices de vendas
elevados», sustentou.
Carlos
Sousa
– Diário de Coimbra