PATRIMÓNIO – “Rota do Alva” valoriza território e potencia turismo de natureza

0
4
Aquele que será “o mais bonito vale de um rio português”,
de acordo com a apreciação do presidente da Câmara Municipal de Oliveira do
Hospital, acaba de ser contemplado com fundos comunitários para se tornar um
destino turístico de natureza, a partir da constituição formal da “Grande Rota do Rio Alva”.

As comunidades
intermunicipais da Região de Coimbra (CIM-RC) e das Beiras e Serra da Estrela,
juntamente com a rede das Aldeias de Xisto e a Associação de Desenvolvimento
Integrado da Rede de Aldeias de Montanha (ADIRAM), assinaram ontem, em São
Pedro de Alva, Penacova, o Compromisso do Alva que permitirá avançar com um
consórcio que reúne parceiros públicos e privados, com o objetivo de dotar
aquele percurso de todas as infraestruturas necessárias para o tornar um
produto turístico apetecível.

Será principalmente através
da abertura de percursos pedestres e cicláveis que os turistas vão usufruir do
esplendor de natureza ao longo de 106 quilómetros, desde a nascente, no Vale de
Rossim, até que desagua no rio Mondego, perto da localidade de Raiva.

Atividades
de ar livre

O presidente da Câmara de
Penacova, Humberto Oliveira, sublinhou que este projeto também está intimamente
ligado à pesca desportiva, praias fluviais e aldeias de xisto e de montanha,
também associado a património construído e até canoagem, atividade até agora
muito associada aos rios, na região, Zêzere e Mondego.

Por outro lado, Paulo
Fernandes, presidente da Câmara do Fundão e da Adxtur, adiantou que, em toda a
região Centro existem cinco mil quilómetros de percursos marcados no território
para prática de diversas modalidades, o que corresponde a viagem de ida e volta
a Paris. Na sua perspetiva, falta infraestruturar devidamente o território para
ser o melhor destino de natureza do país.

Jorge Loureiro, vogal da
Turismo do Centro, destacou a constituição da Grande Rota do Alva como “projeto
preparado para fixar atividade económica e criar emprego”, acrescentando que “trabalhar em rede é a forma de alcançar
resultado
s”.

Por seu lado, Jorge Brito,
diretor Executivo da CIMRC, explicou que a Rota do Alva está integrado nos
Corredores do Património Natural, destacando o facto dos 19 presidentes das
câmaras da estrutura intermunicipal terem assumido um compromisso comum para
que fossem alocados1,3 milhões de euros de fundos comunitários a este projeto.

António
Rosado
– Diário As Beiras

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui