CONGRESSO – Médicos discutem em Coimbra desafios da saúde da mulher em Portugal

0
0
O maior
encontro nacional dos especialistas na área da Ginecologia e Obstetrícia
realiza-se de 1 a
4 de Junho, em Coimbra, é organizado pela Federação das Sociedades Portuguesas
de Obstetrícia e de Ginecologia (FSPOG) e tem o objetivo de criar um debate em
torno das inovações na área, novas formas de abordagem, a apresentação de
estudos e consensos entre os especialistas da área da saúde da mulher e debater
como é que se consegue solucionar o problema português ligado à natalidade.
Portugal é o segundo país da
Europa com menor taxa de natalidade e continua a haver mais gente a morrer do
que a nascer. O presidente da FSPOG, Daniel Pereira da Silva comenta “Esta é a dura realidade em que vivemos e
existe a necessidade de se criarem mais e melhores condições para as famílias
portuguesas para aumentar o seu agregado familiar. O governo tem
responsabilidade para criar mais-valias económicas para que isto aconteça mas
também a da responsabilidade da comunidade médica encontrar soluções para que
os casais e as mulheres se sintam bem acompanhados
.”
São cada vez mais as mães
que têm filhos com 35 ou mais anos de idade sendo que se tratam de 35,5% dos
casos em 2016. “Os dados divulgados
recentemente mostram a necessidade de adaptação por parte das famílias
portuguesas e da necessidade dos médicos se adaptarem a esta nova realidade de
as mulheres serem mães cada vez mais tarde. Certamente que este contexto social
trás novos desafios médicos relacionados com a fertilidade e outras questões
relacionadas com comorbilidades e doenças que aumentam de prevalência com a
idade. Os especialistas têm uma grande responsabilidade nos dias de hoje
”,
completa o presidente da Federação.
Este momento de reflexão dos
especialistas sobre estes aspetos, envolve todas as sociedades científicas na
área da saúde da mulher e discute temas sobre obstetrícia, ginecologia,
reprodução e contraceção vão ser as principais áreas que contam com o debate de
temáticas que cada vez mais afetam a saúde das mulheres como é o caso da
oncofertilidade e a preservação da fertilidade, as patologias na mulher
grávida, a gravidez gemelar, a obesidade e fertilidade, entre muitos outros
assuntos.
Este é um dos encontros
nacionais mais importantes que se realiza de 3 em 3 anos e reúne mais de 800
especialistas da área de ginecologia e obstetrícia e a representação de todas
as sociedades científicas a nível nacional. A nível internacional conta com a
presença de especialistas oriundos dos USA, UK, Espanha, Holanda, Israel,
França, Alemanha e Bélgica.
Daniel Pereira da Silva
sublinha que “Este tipo de iniciativas
são fundamentais para a discussão das inovações na área e perceber melhor quais
as principais alterações do contexto da saúde da mulher através da troca de
experiências e da abordagem aos principais problemas e novidades com os quais
os médicos se depararam nos últimos tempos. Na verdade, trata-se de delinear um
caminho conjunto para o futuro
.”
O 21º Congresso conta na sua
sessão de abertura com a apresentação do livro “Medicina Materno Fetal, 5ª edição” e a atribuição do Prémio de
Mérito Científico de Obstetrícia e Ginecologia 2017 a Carlos Ferreira de
Oliveira, especialista que em muito contribui para um melhor conhecimento na
área.
Durante este encontro, será
apresentado o Consenso Nacional sobre os Miomas Uterinos, a patologia
ginecológica mais comum do trato ginecológico feminino tendo em conta as
evoluções na tecnologia e terapêutica médica. Os especialistas apresentarão
também os dados mais recentes relativamente à evolução das taxas de cesariana em
Portugal e as diferenças que se registaram nos últimos anos.