COMUNICADO – Comissão de Utentes dos Transportes denuncia a má prestação de serviços pela TRANSDEV

0
2
Em comunicado, a Comissão de Utentes dos
Transportes de passageiros da carreira Coimbra – Roxo – Aveleira – São Mamede – Paradela,
declara-se “
farta e cansada com as frequentes faltas e atrasos dos transportes públicos
que servem a população daquelas aldeias
“.

Refere o comunicado que os utentes daquele
meio de transporte “esperam nas
paragens, tempos infinitos, ao frio e ao calor, sentindo-se ainda prejudicados
com as chegadas tarde aos locais de trabalho, escolas e outros serviços”,
vendo-se obrigados “a arranjar transportes alternativos, assim aumentando os
custos que a falta de transportes acarreta, nomeadamente, para aqueles que já
adquiriram os passes mensais
”.

Acrescenta a nota, que “os passageiros da carreira Coimbra – Roxo –
Aveleira – S. Mamede – Paradela, são ainda prejudicados e discriminados,
pagando um valor exagerado pelo bilhete, em relação aos que se deslocam para a Carapinheira
da Serra
”.

Aquela comissão de utentes não encontra
justificação para “o aumento abusivo dos
preços dos bilhetes, que passam de 0,55€ para 2,25€ na linha de fronteira dos
concelhos de Penacova e Coimbra

Referem estar preocupados e descontentes com
a ”supressão da carreira das 17h45 no
período de férias escolares, já que uma boa parte dos utentes deste horário são
trabalhadores de serviços diversos, que se vêem obrigados a procurar
alternativas ou a esperar mais uma hora e vinte minutos pela camioneta das
19h05, chegando a casa muito tarde
”.

Neste momento, como refere o comunicado, “foi criada uma comissão e puseram em marcha
um abaixo-assinado para exigir da Transdev a solução rápida e duradoura dos atrasos
e das faltas de carreiras, assim como a correcção dos preços dos bilhetes para esta
parte do concelho de Penacova, bem como da manutenção dos horários que melhor
servem os utentes”
.

Por último, a Comissão de Utentes pede à Câmara
Municipal de Penacova, “que assuma a
defesa dos seus munícipes, já que não se conhece qualquer iniciativa nesse
sentido, mesmo depois de essas reclamações terem sido apresentadas na Assembleia
Municipal, no início do ano escolar, no passado mês de Setembro”
.