PROJETO – Grande Rota do Bussaco vai unir Mealhada, Mortágua e Penacova

0
2

A Mata Nacional do Bussaco vai ter uma Grande Rota pedonal com
três trajetos que convergem para o seu interior: um a partir da Mealhada, outro
que parte de Penacova e um terceiro com origem em Mortágua. O projeto, que foi
apresentado ontem, no Convento de Santa Cruz, procura colocar o Bussaco nas
rotas do turismo de natureza, património e cultura.
A “Grande Rota do Bussaco” é composta por três percursos, oriundos dos
concelhos que circundam a Mata, com cerca de 20 quilómetros cada, e de
dificuldade média, que, por entre serras e declives, conduzirá os visitantes ao
núcleo central da Mata Nacional do Buçaco. O projeto une os três municípios – Mealhada, Mortágua e Penacova – e
mereceu o apoio da Comunidade Intermunicipal – Região de Coimbra, do Instituto
de Conservação da Natureza e Florestas e da Agência de Desenvolvimento Gardunha
21/ Inature, entidades que assinaram, hoje, no Convento de Santa Cruz, na Mata
Nacional do Bussaco (Luso, Mealhada) o “Compromisso do Bussaco”, um documento
de intenções para a valorização da Mata Nacional e Serra do Bussaco. 
O documento define como
objetivos a “promoção e valorização da
Mata Nacional do Bussaco, tornando-a um motor de desenvolvimento dos concelhos
”,
a “valorização do potencial endógeno do
território
” e a “dinamização da Mata
e Serra do Bussaco em cooperação com instituições e agentes económicos
”.
Para a concretização dos mesmos, todas as entidades se comprometem com
iniciativas de promoção, divulgação e sensibilização e com a “estruturação da oferta turística, de uma
forma integrada
”. O projeto centra-se no património natural, mas também do
arquitetónico e até imaterial, cruzando-se com o projeto da rota das batalhas
napoleónicas.
António Gravato,
presidente da Fundação Mata do Bussaco, explicou que o projeto da Grande Rota
do Bussaco – Corredor de Património Natural da Região de Coimbra foi amplamente
discutido, nomeadamente com juntas de freguesia e outras instituições, enquanto
João Ataíde, presidente da CIM – RC, sublinhou o enquadramento numa premissa de
desenvolvimento de um produto turístico interligado com outras ofertas
turísticas da região de Coimbra. 
Pedro Machado,
Presidente da Turismo Centro Portugal, saudou “a cooperação das três autarquias
na criação deste produto turístico estruturado
” que vai ao encontro das últimas
tendências do turismo internacional que procura experiências assentes na natureza,
nas experiências e na descoberta de territórios para além do sol e praia. 
Já o presidente da
Câmara da Mealhada, Rui Marqueiro, que falou também em nome d dos seus colegas
de Mortágua e Penacova, sublinhou a ligação histórico-cultural entre estes três
municípios dos distritos de Aveiro, Coimbra e Viseu, com o ponto fulcral que é
a Mata Nacional e Serra do Buçaco, adiantando que agora a urgência é a de
avançar com os trabalhos. 
Os três municípios irão
dar seguimentos às obras necessárias para a criação dos três trajetos que
constituem a Grande Rota, num projeto global que mereceu o financiamento do
Portugal 2020 e Feder.