INICIATIVA – Deputado Pedro Coimbra defende solução do Governo para o Sistema de Mobilidade do Mondego

0
2
Foi pela mão do atual Governo que se chegou
a uma solução eficaz, adequada, moderna e que resolve com dignidade as
necessidades das populações da Lousã, Miranda do Corvo e Coimbra
“. Foi
desta forma que Pedro Coimbra, presidente da assembleia municipal de Penacova,
na qualidade de deputado na nação, eleito PS eleito por Coimbra, defendeu a
solução do Executivo para o Sistema de Mobilidade do Mondego. “É um tema que se
arrasta há demasiado tempo e cujo abandono definitivo se chegou a temer
“,
justificou.
Pedro
Coimbra falava hoje na Comissão de Economia, Inovação e Obras
Públicas, numa audição sobre a solução proposta pelo Governo para o
Sistema de Mobilidade do Mondego, na sequência de requerimento do PCP e de
requerimentos orais do PSD e do BE, que contou com a presença
da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, do Movimento em Defesa
do Ramal da Lousã, do Movimento Lousã pelo Ramal, do Movimento Cívico
de Coimbra, Góis, Lousã e Miranda do Corvo e da Comissão de Utentes dos
Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC).
O investimento vai salvaguardar a
mobilidade na linha suburbana entre Serpins e Coimbra, mas também a linha
urbana dentro da Cidade, bem como a recuperação urbanística de parte da Baixa
de Coimbra, tão urgente como necessária
“, defendeu.
Além
disso, prosseguiu o parlamentar, “as populações que se deslocam dos concelhos da Lousã e de Miranda
para Coimbra, com a solução apresentada, em termos de resposta de mobilidade,
ficarão mais bem servidas, porquanto passarão a ter
ligações diretas aos seus principais destinos como sejam o centro da
cidade, o Centro Hospitalar Universitário de Coimbra ou a estação de Coimbra B
– também a requalificar em breve
”. Pedro Coimbra não tem dúvidas que
“tal não seria possível se se optasse por linha férrea pesada, como alguns têm
defendido”.
O
socialista não deixou de salientar o empenho e dedicação do Ministro do
Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, que “apresentou uma solução séria”, depois
de “ter herdado do anterior Governo de direita uma mão cheia de nada –
nem projetos, nem estudos, nem financiamento dos fundos estruturais que
são absolutamente necessários e que é preciso garantir agora”.
Elogiou
também “o sentido de
responsabilidade
” dos autarcas de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo, Manuel
Machado, Luís Antunes e Miguel Baptista, respetivamente.
Sempre estiveram sensíveis às necessidades das populações, tendo a
capacidade de estar ao lado de uma solução credível e nunca do lado do
problema
“, frisou.