SAÚDE – Mais de 288 mil doses gratuitas da vacina para a gripe

0
3


A campanha de vacinação
contra a gripe sazonal 2017-2018, que tem início a 2 de Outubro, disponibiliza
para a região Centro 288 mil doses gratuitas. A decorrer até ao final do
Inverno, a vacinação é livre de pagamento para pessoas a partir dos 65 anos, residentes
ou internados em instituições, doentes em diálise crónica, transplantados e
ainda para bombeiros.

Os grupos prioritários para
a vacinação são as pessoas com mais de 65 anos, doentes crónicos e
imunodeprimidos, grávidas, profissionais de saúde e outros prestadores de
cuidados, que terão também acesso gratuito à vacina.

De acordo com informação da
Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, a vacina está disponível nos
centros de saúde, unidades locais de saúde e hospitais, onde os grupos de risco
identificados se podem dirigir para ser vacinados.

Entretanto, as pessoas não
abrangidas pela vacinação gratuita podem adquirir a vacina nas farmácias, sob
prescrição médica, beneficiando de comparticipação de 37%. A Direcção-Geral de
Saúde (DGS) informa que as receitas médicas nas quais seja prescrita,
exclusivamente, a vacina contra a gripe, emitidas a partir de 1 de Julho, são
válidas até 31 de Dezembro.

O Serviço Nacional de Saúde
tem cerca de 1,4 milhões de doses de vacinas para administrar gratuitamente,
sendo que as 288 mil disponíveis para a região Centro (50 mil para Castelo
Branco e Guarda), segundo as estimativas, responderão às necessidades, conforme
referiu fonte da ARS Centro. Além da vacinação contra a
gripe, a ARS Centro alerta que é também «essencial
para a prevenção das infecções respiratórias agudas a lavagem frequente das
mãos, sobretudo depois de espirrar ou tossir
». Não deve ser esquecida a
chamada “etiqueta respiratória” –
tossir ou espirrar para um lenço descartável ou para o antebraço -, e, em caso
de suspeita de infecção, é de evitar o contacto próximo com outras pessoas.

A gripe é uma doença
contagiosa, que, na maioria dos casos, se cura espontaneamente. No entanto,
podem ocorrer complicações, particularmente nas pessoas com doenças crónicas ou
com 65 anos ou mais. Segundo dados da DGS, nos anos mais recentes, a maior
actividade gripal tem sido observada entre os meses de Dezembro e de Fevereiro,
sendo que os vírus estão em constante alteração, pelo que a imunidade provocada
pela vacina não é duradoura. Por essa razão, as pessoas devem vacinar-se
anualmente.