INCÊNDIOS – Governo vai atualizar candidatura ao Fundo Europeu de Solidariedade

0
2

A comissária europeia da
Política Regional, Corina Cretu, visitou ontem alguns locais afetados pelo
grande incêndio de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos,
em Junho, no sentido de se inteirar “in loco” dos danos causados e do que está
a ser recuperado com a ajuda dos fundos comunitários.

Uma deslocação que, para o
ministro da Agricultura, Capoulas Santos, pretendeu «mostrar à senhora
comissária os nossos problemas e porque necessitamos de mais apoio.

Aliás, explicou o governante
que é necessário um apoio suplementar por parte da Europa, nomeadamente para
alargar as medidas para aa floresta e par a prevenção dos incêndios.
«Foi apresentada uma extensa
lista de apoios que consideramos necessários. Queremos negociar entre os vários
comissários entre o que desejamos e o que é possível», disse Capoulas Santos.

Neste sentido, o Governo
está a actualizar a candidatura ao Fundo de Solidariedade Europeu, juntando-lhe
os fogos de 15 de Outubro, o que perspectiva que os incêndios sejam encarados
todos no mesmo “pacote”, alterando o grau da sinistralidade para o grau de
desastre regional.

O secretário de Estado do
Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, frisou, aos jornalistas, que o
grande incêndio de Pedrógão Grande, em Junho, e os fogos de Agosto na região,
permitiram alcançar o patamar de 500 milhões de euros de prejuízo, necessários
para recorrer ao fundo, o representa uma ajuda de 2,5% sobre esse valor em
ajudas monetárias.

Como aconteceu nova tragédia
a 15 de Outubro, o executivo imagina ser possível atingir, ou mesmo
ultrapassar, o patamar dos mil milhões, passando a tratar-se de um “major
disaster”, o que corresponde, para valores acima dos 500 milhões, a uma ajuda
do Fundo de Solidariedade, da ordem dos 6%.

Nelson de Souza frisou ainda
que, «seguramente, antes do Natal, vamos submeter a actualização», esperando
«uma decisão rápida» da Comissão Europeia.

Estas ajudas são
maioritariamente para a recuperação de infraestruturas públicas, não podendo
ser afectas à reconstrução de casas ou mesmo de empresas.

Já a comissária europeia,
que visitou as obras de reconstrução da empresa Markus Bosch, em Pedrógão
Grande, de uma habitação em Sarzedas de São Pedro (Castanheira de Pera), ou o
parque aventura Forte Raposa, no concelho de Figueiró dos Vinhos, mostrou-se
agastada por ver esta «bonita região afectadas pela tragédia», frisando
estarmos perante «uma oportunidade de mostrar a nossa solidariedade».

Corina Cretu disse ainda
que, na sua visão, «devemos (na União Europeia) estar juntos nas alturas más e
nas alturas boas», sublinhando estar «muito triste por no último ano ter havido
tantas tragédias na Europa», nomeadamente em Portugal, Itália e Grécia.
Vinte
mil candidaturas de agricultores

Relativamente aos incêndios
de 15 de Outubro, Capoulas Santos revelou ontem que o Governo registou 20 mil
candidaturas de agricultores para os apoios até cinco mil euros, correspondendo
a «mais de 60 milhões de euros» de ajudas.

As candidaturas acima de
cinco mil euros estão abertas até ao dia 15 de Dezembro, para as quais estão
disponibilizados 15 milhões de euros, acrescentou o ministro da Agricultura.

José Carlos Salgueiro
– Diário de Coimbra