SOLIDARIEDADE – Últimas máquinas agrícolas foram ontem entregues pela “É Preciso Acreditar”

0
2
Encerrou ontem a iniciativa
É preciso acreditar”, que teve como
mote um concerto realizado em Coimbra a 31 de outubro último, com fins
solidários, recolhendo donativos para as vítimas dos fogos da região Centro.

O mentor do projeto, André
Sardet, disse ontem que “este projeto
teve princípio, meio e fim
”, referindo-se ao facto do espetáculo se ter
realizado, permitindo a angariação de 172.379,25 cêntimos, que foram investidos
na aquisição de máquinas agrícolas, cujas quatro últimas foram ontem entregues
em Arganil. O músico adiantou que foram adquiridos – com o dinheiro angariado –
15 tratores, 20 motoserras e uma charrua, de acordo com as necessidades
sinalizadas junto dos agricultores residentes pelas respetivas autarquias. O
levantamento foi feito pelas respetivas autarquias, nomeadamente da Pampilhosa
da Serra, Lousã, Penacova, Tábua, Vila Nova de Poiares, Mira, Oliveira do
Hospital e Arganil.

Verba
angariada numa conjugação de fatores

A verba foi angariada
através da bilheteira do concerto, chamadas telefónicas de valor acrescentado –
que estiveram ativas durante a transmissão televisiva do concerto – e donativos
transferidos para uma conta bancária com NIB publicitado, que foi auditada pelo
Ministério da Administração Interna e um Revisor Oficial de Contas (ROC), em
trabalho voluntário. “O processo está
concluído e a conta é para encerrar
”, referiu ontem André Sardet, que
destacou “o sentimento de dever
cumprido, com transparência e rapidez, de modo a alcançar os resultados
pretendidos
”. Além disso, quis “demonstrar o reconhecimento pelas pessoas
que participaram e que ajudaram
”.

Em artigo de opinião no
DIÁRIO AS BEIRAS, o músico já havia escrito que o espetáculo foi “por todos
aqueles que trabalham por uma vida digna nos concelhos do Centro de Portugal
afetados pelos incêndios de 15 de outubro, por todos aqueles que passaram uma
vida inteira construindo o bem-estar das suas famílias e que subitamente viram
em chamas o resultado de uma vida de luta e sacrifícios
”.

Recorde-se que o Presidente
da República esteve no concerto, acompanhado pelo comissário europeu Carlos
Moedas, referindo que “os portugueses
acreditam que nunca como hoje o país esteve solidário e acreditam que vamos
reparar, reconstruir e refazer
”.

Participaram nomes como Rui
Veloso, António Zambujo, Dengaz, André Sardet, João Pedro Pais, João Só, Amor
Electro, João Gil e José Cid.
António Rosado – Diário As
Beiras