DIVISÃO DE HONRA – Vitória magra sobre o União mantém liderança do O. Hospital

0
2
Foi um líder Oliveira do
Hospital de serviços mínimos em termos exibicionais aquele que venceu, em duelo
da ronda 14 da Divisão de Honra AFC, no terreno do União FC (Penacova), por 0-1.


O primeiro sinal de perigo
foi dado pelos locais, logo aos 3’, com André Santos, em livre descaído para a
direita, a testar a atenção de Nando Pedrosa. A resposta por parte dos
visitantes surgiu aos 9′ por Diogo Brito que, também de longe, rematou com a
bola a passar por cima da baliza à guarda de Gonçalo.

Mas o início do líder e
favorito neste duelo não foi, de forma alguma, brilhante e, no minuto 11, Joel,
após excelente lance de ataque rápido dos locais, efectuou um centro/remate já
na área com Luís Borges a chegar tarde ao esférico para concluir uma jogada em
que a defesa oliveirense já estava batida.

O encontro equilibrou com os
locais a apostarem mais nas transições rápidas e os forasteiros a terem mais
bola mas a não conseguirem materializar esse maior tempo com o esférico em seu
poder. No minuto 32 surgiu a melhor oportunidade até então do encontro e para
os visitados: Estanqueiro desmarcou David que, do lado direito da área e já com
a defesa forasteira ultrapassada atirou ao lado quando já se gritava golo no
Campo da Feira Nova.

Contudo, e até contra a
corrente do encontro, já perto do intervalo, Bandeira bateu um livre da direita
e Varela, de cabeça e ao segundo poste, inaugurou o marcador para o conjunto
oliveirense. Antes do intervalo, Danilo, após livre da direita e desvio em cima
da linha de um defesa oliveirense, atirou já dentro da área para defesa, por
instinto, de Nando Pedrosa no que seria o justo tento do empate com os
comandados de Tó Miranda a recolherem aos balneários com uma amarga sensação de
injustiça no marcador.

A etapa complementar
iniciou-se, novamente, com a toada de equilíbrio a impor-se. Aos 58′, os locais
quebraram o momento de letargia com Estanqueiro a entregar para Luís Borges
que, da direita, cruzou para Mário Brito, em boa posição, rematar para as mãos
de Nando Pedrosa. O líder reagiu aos 65′ e logo com “fumaça de golo”: Bandeira
cruzou da esquerda para Rui Pereira, já na pequena área, atirar para grande
defesa de Gonçalo.

Com o passar dos minutos, o
Oliveira do Hospital começou a crescer e a sensação era de que o golo podia
aparecer a qualquer momento para o líder tal a forma como se ia acercando da
área dos locais que perderam, claramente, energia no segundo tempo. Em acções
de Rui Pereira e Varela, mesmo que por vezes com más decisões e pouca
objectividade à mistura, os forasteiros podiam ter aumentando a vantagem
perante um União FC que nunca deixou de lutar, é certo, mas pouco fez para
ganhar sobretudo no segundo tempo.
André Freixo – Diário de
Coimbra