ANIVERSÁRIO – O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro assinala hoje 50 anos

0
2
O Núcleo Regional do Centro da
Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) assinala hoje 50 anos. A data é de festa
e de boas notícias já que Carlos Oliveira, presidente do núcleo, revela que a
região Centro regista uma redução “significativa
na mortalidade por cancro da mama, o que se deve à forte implementação do
rastreio.

O núcleo destaca-se numa área em particular que é o rastreio do cancro
da mama, que começámos há 27 anos, em 1990, que tem há vários anos cobertura
total na zona Centro, e em que foram precisos 25 anos para se encontrar o seu
impacto
”, afirma Carlos Oliveira. Na região Centro, há uma “diminuição significativa da mortalidade,
que é o grande objetivo do rastreio, e isso já foi provado por estudos realizados
e publicados, em que há efetivamente uma redução da mortalidade
”, sustenta.

Foi no Centro que se iniciou o
rastreio organizado do cancro da mama, 10 anos antes dos núcleos do norte e sul
do país. “Infelizmente, até hoje, a zona
da grande Lisboa e península de Setúbal não têm rastreio de cancro da mama
”,
lamentou o responsável, considerando a situação “uma vergonha”. Alerta para cancro colorretal.

Apesar dos resultados
positivos, Carlos Oliveira estimou que, em Portugal, até 2030, o cancro da mama
cresça 17 por cento, o da próstata entre 35 a 40 por cento e o do intestino
(colorretal) mais de 30 por cento em homens e mulheres. Para o especialista, “há que desenvolver efetivamente rastreio em
áreas em que são tecnicamente possíveis
”.

Referindo que existe uma
cobertura “muito fraca
relativamente ao rastreio do cancro colorretal, o presidente do núcleo regional
do Centro frisou que, atualmente, as mulheres morrem mais de cancro do
intestino do que do cancro da mama e apelou a uma maior atenção e vigilância
deste órgão.

O 50.º aniversário do Núcleo
Regional do Centro da LPCC será assinalado com o programa “No Centro da Luta Contra o Cancro”. A sessão inaugural tem início
hoje, às 11H00, na sede da instituição. A encerrar o programa decorre uma
atuação do “Coro ao Centro”, pelas
12H15. Durante a tarde, a comunidade é convidada a conhecer as instalações, em
visitas guiadas que decorrem entre as 14H30 e as 16H30.

A importância de valorizar o
passado, e todos os que no percurso de 50 anos dedicaram as suas competências
ou recursos à causa da luta contra o cancro, é simbolizada na homenagem que
será prestada aos médicos Dário Cruz e Rocha Alves, fundadores do núcleo, a
quem se associa o arranque da campanha de rastreio de cancro da mama. Durante o
dia, estará também estacionada, para exposição, uma Unidade Móvel de Rastreio
no Largo de Cruz de Celas.
Cátia
Vicente
com Lusa