ANIVERSÁRIO – O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro assinala hoje 50 anos

0
3
O Núcleo Regional do Centro da
Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) assinala hoje 50 anos. A data é de festa
e de boas notícias já que Carlos Oliveira, presidente do núcleo, revela que a
região Centro regista uma redução “significativa
na mortalidade por cancro da mama, o que se deve à forte implementação do
rastreio.

O núcleo destaca-se numa área em particular que é o rastreio do cancro
da mama, que começámos há 27 anos, em 1990, que tem há vários anos cobertura
total na zona Centro, e em que foram precisos 25 anos para se encontrar o seu
impacto
”, afirma Carlos Oliveira. Na região Centro, há uma “diminuição significativa da mortalidade,
que é o grande objetivo do rastreio, e isso já foi provado por estudos realizados
e publicados, em que há efetivamente uma redução da mortalidade
”, sustenta.

Foi no Centro que se iniciou o
rastreio organizado do cancro da mama, 10 anos antes dos núcleos do norte e sul
do país. “Infelizmente, até hoje, a zona
da grande Lisboa e península de Setúbal não têm rastreio de cancro da mama
”,
lamentou o responsável, considerando a situação “uma vergonha”. Alerta para cancro colorretal.

Apesar dos resultados
positivos, Carlos Oliveira estimou que, em Portugal, até 2030, o cancro da mama
cresça 17 por cento, o da próstata entre 35 a 40 por cento e o do intestino
(colorretal) mais de 30 por cento em homens e mulheres. Para o especialista, “há que desenvolver efetivamente rastreio em
áreas em que são tecnicamente possíveis
”.

Referindo que existe uma
cobertura “muito fraca
relativamente ao rastreio do cancro colorretal, o presidente do núcleo regional
do Centro frisou que, atualmente, as mulheres morrem mais de cancro do
intestino do que do cancro da mama e apelou a uma maior atenção e vigilância
deste órgão.

O 50.º aniversário do Núcleo
Regional do Centro da LPCC será assinalado com o programa “No Centro da Luta Contra o Cancro”. A sessão inaugural tem início
hoje, às 11H00, na sede da instituição. A encerrar o programa decorre uma
atuação do “Coro ao Centro”, pelas
12H15. Durante a tarde, a comunidade é convidada a conhecer as instalações, em
visitas guiadas que decorrem entre as 14H30 e as 16H30.

A importância de valorizar o
passado, e todos os que no percurso de 50 anos dedicaram as suas competências
ou recursos à causa da luta contra o cancro, é simbolizada na homenagem que
será prestada aos médicos Dário Cruz e Rocha Alves, fundadores do núcleo, a
quem se associa o arranque da campanha de rastreio de cancro da mama. Durante o
dia, estará também estacionada, para exposição, uma Unidade Móvel de Rastreio
no Largo de Cruz de Celas.
Cátia
Vicente
com Lusa


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui