PAIS REAL – Deputados do PS foram ao terreno ver os resultados do fogo

0
0


Um vasto grupo de deputados
socialistas visitou ontem vários distritos da região Centro para observar in
loco o plano de recuperação das áreas ardidas.

Em Penacova, o líder
parlamentar do PS, Carlos César, negou que a iniciativa seja “uma visita de
propaganda” ao Governo, tanto mais que o grupo de deputados deparou-se com as
reais dificuldades da burocracia.

Carlos César, Elza Pais e
Jorge Lacão ouviram o caso de António Dias, em Travanca do Mondego, que se
queixa da burocracia na reconstrução da sua casa, que ardeu nos fogos de
outubro.

Desde então, já viveu em
três casas e não há ainda previsão de quando poderá voltar a entrar na sua. A
mulher, Anabela Santos, rodeada por deputados, câmaras de televisão e
jornalistas, sorri, nervosa, mas ainda se emociona a contar como se salvou: “Saí daqui de carro, no meio do fogo. Havia
carros ardidos, três
”, recorda, com a voz embargada. Conduziu o carro “no meio das chamas” e diz que, ainda
hoje, não sabe como chegou à aldeia onde, finalmente, ficou a salvo.

Candidatou-se
a pouco dinheiro do Estado

Na aldeia de Ribeira, a uns
15 quilómetros de Travanca, um agricultor, Antero Mendes, teve cerca de 30 mil
euros de prejuízos, “em máquinas,
alfaias, no armazém
”, mas só se candidatou “à ajuda de cinco mil euros” e “recebeu
3.750 euros
”. Para uma candidatura de maior valor, Antero – que pratica uma
agricultura de subsistência, cereais para as ovelhas, couves e batatas – teria
de se coletar nas Finanças e arriscava-se a pagar mais impostos, além de ser um
processo burocrático complicado.

Carlos
César confrontado com o país real


O líder do grupo olhou, com
ar preocupado, e comentou: “É preciso
ser criativo nestas coisas
.”

Mais à frente, em Outeiro Longo, surge uma empresa de reciclagem que, três meses após o incêndio, está a
reerguer-se. António Almeida teve um prejuízo calculado de 300 mil euros, já
gastou cerca de 70 mil na reconstrução, mas nem sequer se candidatou ainda às
ajudas do Estado, o que está a pensar fazer.

Carlos César fez o balanço
da manhã, assumindo, precisamente, que esta “não é uma visita para fazer propaganda do Governo, nem é uma visita
para estimular desesperanças”
.

Há 1.500 habitações a serem
avaliadas, 300 já foram reabilitadas e 250 estão em reabilitação, descreveu,
acrescentando que “mais de 27 milhões de
euros foram empregues na reabilitação de diversas atividades económicas
”.
Na agricultura “foram apoiados mais de
21 mil agricultores atingidos por estes incêndios
”.

Até final da tarde, os mais
de 80 deputados, em vários pontos da região, terminaram as visitas aos
concelhos dos distritos de Coimbra, Leiria e Viseu afetados pelos incêndios que
fizeram 112 mortos e milhões de euros de prejuízos.