EMPREENDEDORISMO – Penacova Metting Point apresentado com “entusiasmo em brilhantismo”

0
1

É preciso criar para que o
sucesso venha a ser uma realidade, embora uma das chaves para o sucesso seja a
motivação, sendo essencial acreditar que tudo vai dar certo.

Obviamente que a vida é
cheia de obstáculos, mas o Centro de Iniciativas Empresariais e Sociais (IEBA),
de Mortágua, e Associação Empresarial de Poiares (AEDP, de Vila Nova de
Poiares, têm a chave para abrir caminhos para ajudar os empreendedores a ficar
sempre com a motivação em alta.

Foi a pensar neste contexto
que teve lugar ontem, ao início da tarde, uma apresentação pública dos
projectos empresariais e empresas, criadas a partir do desenvolvimento do
projecto Transformar, Empreender e Criar (TEC). Trata-se de uma definição de
sucesso que varia de pessoa para pessoa e promovida no âmbito da Promoção do
Espírito Empresarial. Atendendo que o empreendedorismo é hoje um chavão que nos
acompanha diariamente, o TEC é direccionado para a capacitação de iniciativas
empresariais e de apoio à concretização de novas empresas apoiadas pelo PO
Centro 2020.

No anfiteatro do Instituto
Pedro Nunes (
IPN), em Coimbra, uma dezena de ideias de negócios foram sujeitas
a uma apresentação curta, mas de forma entusiasmante.

Mildren Costa (Estação
Animal), Hugo Duarte (Louzan Graphics), Pedro Santos (Vimieiro Ecohouses),
Silvia Macedo (Venusberry), Carlos Cé- sar (Picturesque), Julie Dawn Fox (The
Way Fox), Ana Coimbra (Yellow Street Food), Rita Duarte (Penacova Meeting
Point), Pedro Batista, João Neto e Rui Loureiro (Mondego Nature), Hugo Borges e
Nelson Lopes (Nechef) dissecaram as suas ideias de negócio na expectativa de
encontrarem parceiros para levarem por diante a concretização de sonhos antigos
e recentes.

O físico Albert Einstein já
afirmava: «Não tente ser uma pessoa de
sucesso. Em vez disso, seja uma pessoa de valor
». Nesta apresentação
pública, os valores ficaram profusamente vincados, uns mais que outros, embora
não seja de descurar os trilhos do sucesso.
“Penacova
Meeting Point” e “Nechef” primaram pelo entusiasmo e pelo brilhantismo durante
a apresentação
Três minutos para apresentar
cada proposta foi o tempo permitido mas suficiente para levar a mensagem a
eventuais parceiros, sobretudo pela exuberância patenteada, como foram os casos
da penacovense Rita Duarte, que apresentou
Penacova Meeting Point”, e Hugo Borges e Nelson Lopes, com “Nechef”.

Duas propostas que cativaram
pela positiva, com a bióloga Rita Duarte quase a “vender” um produto sem o
possuir, ou seja, um hostel que não é mais que o primeiro “hostaleiro
industrial”, enquanto os segundos distribuíram sandes de leitão bísaro assado
em fornos de lenha, pretendendo criar uma unidade “street food”.
Carlos
Sousa
– Diário de Combra


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui