BASQUETE – CAD-UPCC/Opticalia segue em frente na Taça de Portugal Feminina

0
0
No
primeiro jogo oficial da época de 2017/18, a formação do CAD-UPC
Chelo/Opticalia visitou e venceu por 55-74 a equipa do GICA, em jogo da primeira
eliminatória da Taça de Portugal Feminina.
A
equipa do distrito de Coimbra cedo mostrou outros argumentos técnicos e
físicos, que ditaram vantagem no marcador desde o início da partida. Com um
jogo interior muito forte, Maria João Andrade e Djenifer Monteiro eram as
marcadoras de serviço e donas da tabela defensiva e ofensiva. O GICA apenas com
faltas, muitas não assinaladas, conseguia anular o maior poder físico das
adversárias. O marcador registava 13-23 no final do 1.º quarto.
No
início dos segundos dez minutos, o GICA estendeu a pressão a todo o campo, com
o intuito de reduzir a desvantagem, algo que se revelou infrutífero, já que a
maior experiência e qualidade das visitantes fez com que o marcador disparasse
para 17 pontos de vantagem, fruto de rápidas transições defesa/ataque, que
quase sempre davam cestos fáceis. Os últimos 3 minutos de período foram de
descontrolo por parte das jogadoras do CAD-UPCC/Opticalia, que com más decisões
no ataque e alguma passividade na defesa permitiram à equipa da casa encurtar a
diferença para 10 pontos. Ao intervalo, o marcador registava 30-40.
No
início da segunda parte, as jogadoras do GICA mantiveram a intensidade
defensiva e aproveitaram alguma apatia e cansaço do adversário, encurtando a
diferença para apenas 5 pontos a meio do 3.º período.
Um
oportuno desconto de tempo solicitado pelo treinador do CAD-UPCC/Opticalia foi
o suficiente para as jogadoras voltarem ao jogo com outra intensidade e
qualidade ofensiva, conseguindo um parcial de 6-16. Com uma diferença 15 pontos
no final do 3.º quarto, ficava cada vez mais difícil a recuperação da formação
da casa.
Os
últimos dez minutos foram de total domínio e controlo do jogo por parte das
jogadoras de laranja, limitando-se a gerir o resultado.
A
vitória por 55-74 espelha a diferença de qualidade e argumentos entre as duas
equipas, sendo que a jovem formação do GICA irá, com toda a certeza, entrar na
luta pelos momentos altos da II Divisão.
Na
equipa do CAD-UPCC/Opticalia, destaques individuais para Djenifer Monteiro (26
pontos) e Maria João Andrade (19 pontos). Na equipa casa, Ana Martins (11
pontos) e Ana Marques foram as mais esclarecidas ofensivamente.
No
primeiro jogo oficial da época de 2017/18, a formação do CAD-UPC
Chelo/Opticalia visitou e venceu por 55-
74 a equipa do GICA, em jogo da primeira
eliminatória da Taça de Portugal Feminina.
A
equipa do distrito de Coimbra cedo mostrou outros argumentos técnicos e
físicos, que ditaram vantagem no marcador desde o início da partida. Com um
jogo interior muito forte, Maria João Andrade e Djenifer Monteiro eram as
marcadoras de serviço e donas da tabela defensiva e ofensiva. O GICA apenas com
faltas, muitas não assinaladas, conseguia anular o maior poder físico das
adversárias. O marcador registava 13-23 no final do 1.º quarto.
No
início dos segundos dez minutos, o GICA estendeu a pressão a todo o campo, com
o intuito de reduzir a desvantagem, algo que se revelou infrutífero, já que a
maior experiência e qualidade das visitantes fez com que o marcador disparasse
para 17 pontos de vantagem, fruto de rápidas transições defesa/ataque, que
quase sempre davam cestos fáceis. Os últimos 3 minutos de período foram de
descontrolo por parte das jogadoras do CAD-UPCC/Opticalia, que com más decisões
no ataque e alguma passividade na defesa permitiram à equipa da casa encurtar a
diferença para 10 pontos. Ao intervalo, o marcador registava 30-40.
No
início da segunda parte, as jogadoras do GICA mantiveram a intensidade
defensiva e aproveitaram alguma apatia e cansaço do adversário, encurtando a
diferença para apenas 5 pontos a meio do 3.º período.
Um
oportuno desconto de tempo solicitado pelo treinador do CAD-UPCC/Opticalia foi
o suficiente para as jogadoras voltarem ao jogo com outra intensidade e
qualidade ofensiva, conseguindo um parcial de 6-16. Com uma diferença 15 pontos
no final do 3.º quarto, ficava cada vez mais difícil a recuperação da formação
da casa.
Os
últimos dez minutos foram de total domínio e controlo do jogo por parte das
jogadoras de laranja, limitando-se a gerir o resultado.
A
vitória por 55-74 espelha a diferença de qualidade e argumentos entre as duas
equipas, sendo que a jovem formação do GICA irá, com toda a certeza, entrar na
luta pelos momentos altos da II Divisão.
Na
equipa do CAD-UPCC/Opticalia, destaques individuais para Djenifer Monteiro (26
pontos) e Maria João Andrade (19 pontos). Na equipa casa, Ana Martins (11
pontos) e Ana Marques foram as mais esclarecidas ofensivamente.