PATRIMÓNIO – Propostas na Região Centro, para o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

0
4

A Direção Regional de
Cultura do Centro (DRCC) associa-se à comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sitios (DIMS),celebrado anualmente a 18 de abril. Em 2018 o DIMS
acolhe a temática “
Património Cultural: De Geração para geração”. Neste
contexto, a DRCC sugere várias atividades programadas no 
Mosteiro
de Santa Clara-a-Velha
 (Coimbra), no Museu José Malhoa e Museu
da Cerâmica
 (Caldas da Rainha), e no Museu Joaquim Manso (Nazaré).
Todas as atividades têm participação gratuita.

O programa propõe
iniciativas destinadas aos diversos públicos visando reforçar a consciência da
necessidade de preservação do património, assim como, motivar o diálogo
intergeracional enquanto ferramenta de conhecimento, desenvolvimento e
diversidade.
Visitas guiadas, exposições,
oficinas pedagógicas são as propostas para um dia em cheio!
MOSTEIRO
DE SANTA CLARA-A-VELHA (Coimbra)
10h-19h
Exposição
de Fotografia “Navegar em Ruínas”
Sinopse: Do séc. XIV à
atualidade. A fundação do Mosteiro, as cheias do rio Mondego, o abandono do
edifício no séc. XVII, a classificação como Monumento Nacional em 1910, as
primeiras intervenções de restauro, a grande campanha arqueológica desenvolvida
entre 1995 e 2000 e a redescoberta do património.
(exposição patente até 31 de
dezembro)

Exposição
de Pintura, escultura e desenho “O Mundo de Sophia”, de Sofia Cravo
Abertura pelas 18 horas
Sinopse: “O Mundo de
Sophia” é sobre o meu mundo. Meu. Desde 2001. E que tem o “Eu”
como fonte criativa nos desenhos, pinturas e esculturas. Eu através da minha
Obra. Eu e a minha noção de identidade. Eu e as minhas memórias. Eu, de forma
camuflada, às vezes presente, outras ausente. Eu, o meu corpo e a minha mente.
Eu, espaço tátil, através de uma textura, uma pele, uma máscara. Eu e um reservatório
de referências simbólicas, histórias passadas. Eu, a antiga. Eu, a
contemporânea. Eu, a narrativa teatral, os emblemas e os símbolos. Eu através
da linha do tempo. Sempre “Eu” e o “Outro Lado do Espelho”.
(exposição patente até 03 de
junho)
10h30, 11h30, 15h

Visita
“Conservar e Restaurar o Património”
A visita dá a conhecer o
trabalho de conservação e restauro desenvolvido no Mosteiro de Santa
Clara-a-Velha. Percorre diversos espaços – Igreja do Mosteiro e claustro,
reserva arqueológica e laboratório de restauro, na companhia de Isabel Feijão e
Júlia Oliveira – Técnicas de conservação e restauro.
Informação: Dadas as
características dos espaços, o número de participantes é limitado a 15 por
grupo.
11h, 14h, 16h

Visita
“700 anos de história”
A visita, com duração
aproximada de 90 minutos, dá a conhecer a história do Mosteiro de Santa
Clara-a-Velha, desde a sua fundação à atualidade.
Informação: Grupos até 25 participantes.
10h30 e 15h

Oficina
de Restauro Peça a peça
Nesta oficina os
participantes contactam com o acervo arqueológico do Mosteiro de Santa
Clara-a-Velha e aprendem noções básicas de conservação e restauro, sempre com
uma componente prática associada. A oficina procura sensibilizar para a
importância de conservar e preservar o património.
10h30
Aula aberta com o Curso de
Especialização Tecnológica em Turismo Cultural e do Património, da Escola
de Hotelaria e Turismo de Coimbra.
_____________________________________________________________________
MUSEU
JOSÉ MALHOA (Caldas da Rainha)

10h-17h30
Exposição Imaginação do
pintor José Jorge
A exposição reúne um
conjunto de obras realizadas nos últimos anos pelo pintor, das quais fazem
parte alguns trabalhos da série Cruz e da série Rostos que integraram outras
exposições.
Destacamos também a
escultura “A Árvore da Vida?”, uma obra muito atual que reflete as preocupações
do autor com o meio ambiente. O artista define-a como«(…) sendo tão impossível
e ficcional, não deixa de ser assustadoramente real e presente».
Sobre a sua obra, o
Historiador e Crítico de Arte, professor José Augusto França, considera
que «uma série de “cruzes” não acontece, porém, por acaso, ou o seu acaso é de
segundo grau que importará investigar; é, plasticamente, a mais bem resolvida
(…)», referindo-se, ainda, a este artista, como alguém que «realizou uma
vastíssima exposição de pinturas nas salas da FIL, em Lisboa — estreando-se
espetacularmente como pintor amador, alheio à sua profissão jurídica. Amador
por amor à pintura e por inocência dela, fora de qualquer aprendizagem e de
qualquer conivência na vida artística.»
Esta exposição estará
patente ao público na sala de exposições temporárias do Museu José Malhoa até
ao dia 29 de abril de 2018.

14h30-17h30
Encontro
entre gerações à volta da pintura “Conversa com o Vizinho”, de José Malhoa.
Atividade desenvolvida com a
colaboração da União de Juntas de Freguesia – Nossa Senhora do Pópulo, Coto e
São Gregório.
Participação das turmas da
Universidade Sénior das Caldas da Rainha e das turmas mais jovens das Escolas
locais, impulsionando o diálogo intergeracional enquanto ferramenta de
conhecimento, de desenvolvimento e de diversidade, contemplando a pintura
“Conversa com o Vizinho”, de José Malhoa. 

14h30
Visita
guiada à Exposição Imaginação pelo pintor José Jorge
O pintor José Jorge irá
falar do seu percurso artístico desde a sua infância à atualidade, mostrando
como as vivências do passado e o contacto com as diferentes gerações
influenciam o seu trabalho.
Convite dirigido a toda a
comunidade e à Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha
(professores e alunos) 

Museu
José Malhoa
Parque D. Carlos I |
2500-109 Caldas da Rainha
Horário de abertura: das
10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30
_____________________________________________________________________
MUSEU
DA CERÂMICA (Caldas da Rainha)

10h30-12h00 | 14h00-15h30
Cerâmica
ao Vivo
Demonstração
do trabalho de barro manualmente e na roda, com a presença de um oleiro ao vivo
no jardim do Museu.

10h30 – 12h00
Oficina
| Salpicar de Cor
Atividade
de modelação de pastas estruturada para os participantes.
Encontramos formas de
trabalho simples que cada um pode desenvolver, e que, posteriormente e em cada
conjunto, tem resultados muito expressivos e com a qual todos se identificam.
As peças na oficina são
pintadas usando técnicas muito simples, mas bastantes eficazes, resultando em
trabalhos muito coloridos.

10h30-12h00 | 14h00-15h30
Maleta
Pedagógica “A Cidade vai ao Museu” | Visita Dinâmica
Atividade lúdica e
educativa, um Jogo que visa identificar através de um pequeno roteiro, com
perguntas e frases para completar, os vários ornamentos pertencentes à produção
do Atelier Cerâmico, e que se encontram na decoração exterior do espaço
museológico, ou seja, o Jardim, e que se apresentam em diversos locais, quer
seja a revestir pequenas fontes ornamentais ou mesmo nos frisos e paredes
exteriores do Palacete.
– Visita Guiada à Sala do
Atelier Cerâmico, evidenciando a história desta produção, com destaque para as
peças primordiais, fazendo sobressair as principais caraterísticas e
influências desta vertente artística, bem como do seu fundador, o 2º Visconde
de Sacavém.
10h30-12h00 | 14h00-15h30

Jogo
da descoberta
Marcação prévia | Público em
geral
Atividades
no jardim do Museu, que visam a descoberta do seu valioso património cerâmico e
azulejar.

10h00 12h30| 14h00-18h00
Visitas
Guiadas e Temáticas
A Exposição Permanente do
Museu reúne um conjunto de peças do século XVI ao século XX, segundo uma ordem
cronológica e temática, onde se destacam núcleos de cerâmica das Caldas da
Rainha, assim como uma síntese representativa de vários centros do país e do
estrangeiro.

10h30- 12h00 | 14h00-15h30
Cerâmica
Jogar e Brincar
Neste dia pode visitar o
Museu e ainda pintar um azulejo a partir do original, tendo como referência os
azulejos holandeses com figuras e jogos infantis que revestem a lareira da
antiga sala de jantar do Museu.

Museu
da Cerâmica
Rua Dr. Ilídio Amado |
2504-910 Caldas da Rainha
Horário de abertura: das
10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30
_____________________________________________________________________
MUSEU
DR. JOAQUIM MANSO (Nazaré)
10h30, 11h30
Ser
Nazaré
Visitas guiadas ao Museu Dr.
Joaquim Manso centradas no traje tradicional da Nazaré, um património que vai
passando de geração em geração e que ainda hoje é usado no dia-a-dia por muitas
nazarenas.
Os participantes irão
conhecer as características do traje de trabalho masculino e feminino,
salientando-se o seu carácter simultaneamente funcional e agasalhador adequado
à faina marítima. O colorido decorativo dos aventais e “cachenés” e
as “7 saias” das mulheres animam os dias de festa, quando a Nazaré
vibra com os cantares e as danças do seu folclore.
No final da visita, os
participantes são convidados a tirar uma fotografia, “entrando”
numa das pinturas de Abílio de Mattos e Silva, um artista que estudou e
representou pormenorizadamente o traje tradicional da Nazaré.

“Ser
Nazaré” vai levá-lo na maré. Mergulhe na história e na cultura da Nazaré!
Museu
Dr. Joaquim Manso
Rua D. Fuas Roupinho – Sítio
| 2450-065 Nazaré
Horário de abertura: das
10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30