ANTRAM e cidadãos apoiam IP3 renovado mas querem autoestrada entre Ceira e Aguieira

0
2
A ANTRAM e um grupo de
cidadãos apoiaram ontem a requalificação integral do IP3, mas defendem a
construção de uma nova autoestrada, ligando a A13, em Ceira (Coimbra), ao IP3,
na barragem da Aguieira.

Na sequência de uma reunião
realizada em Coimbra, na quarta-feira, que terminou na madrugada de ontem, na
qual participou Nelson Sousa, vice-presidente da Associação Nacional de
Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), o grupo considerou “muito importante” a ligação
Viseu-Coimbra, com “requalificação
integral
” do atual itinerário principal 3 (IP3).

Muito mais do que uma excelente acessibilidade“, o
investimento anunciado pelo Governo é “uma oportunidade de ligar o Centro e aproximar o interior” do
país, disse à agência Lusa o engenheiro civil Pedro Curvelo, da Lousã, em cuja
Câmara Municipal já exerceu as funções de vereador pelo PSD.

Na reunião, que teve Curvelo
como principal impulsionador, a ANTRAM e os demais presentes, oriundos dos concelhos
de Coimbra, Lousã, Vila Nova de Poiares, Góis e Arganil, no distrito de
Coimbra, aplaudiram “a
requalificação integral do IP3, para melhorar as condições de tráfego e
segurança
“, segundo uma nota hoje divulgada.

No entanto, aqueles cidadãos
defendem igualmente a abertura de uma “nova autoestrada da A13, em Ceira, até ao IP3, na barragem da Aguieira
(entre Penacova e Mortágua), pela margem esquerda do rio Mondego, que permitirá
ligar o IC6 e a estrada da Beira (EN 17) no prolongamento da variante da Lousã
“,
na Marmeleira, a escassos quilómetros de Vila Nova de Poiares.

Questionamos também os custos da ligação da A13 até Souselas (Coimbra),
com uma nova ponte de grandes dimensões
” sobre o Mondego, “a uma cota elevadíssima, obra essa que não
consideramos prioritária em relação à requalificação do IP3 ou à ligação da A13
à barragem Agueira
“, acrescentou o antigo atleta olímpico Pedro
Curvelo.
Na quarta-feira, o ministro do
Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse na Assembleia da
República que o primeiro concurso para a requalificação do IP3, entre Viseu e
Coimbra, deverá ser lançado este ano.

Na sua intervenção inicial, em
audição parlamentar, o governante reafirmou a solução de aumentar o “número de faixas, onde tecnicamente for
possível
“, da infraestrutura, e sem “colocar portagens, nem onerar as populações“.

Na sexta-feira, Pedro Marques
participa em duas sessões de apresentação da solução para o IP3, em Tondela e
Tábua, para os concelhos que integram a Comunidade Intermunicipal (CIM) de Viseu,
Dão e Lafões e a congénere da Região de Coimbra, respetivamente.