FUTEBOL – Oliveira do Hospital Sagra-se Campeão da Divisão de Honra AFC

0
4
No jogo de decisões da
Divisão de Honra da Associação de Futebol de Coimbra (AFC), o Carapinheirense
entrou muito bem e, durante os primeiros 15 minutos, conseguiu mostrar que
estava ali para discutir o encontro até à exaustão e que os resultados das
últimas jornadas se justificaram perfeitamente, assim como o lugar no pódio.

No entanto, a partir do
momento em que Guti enviou a bola ao poste na marcação de um canto, tudo se
alterou e, aos 21’, Romário rematou de primeira, Seidy desviou para a trave e
reclamou-se castigo máximo, mas o árbitro assistente indicou a marcação de
canto.

O jogo tornou-se, então,
muito quezilento, especialmente na zona do meio campo, com a complacência da
equipa de arbitragem e, por mais de uma vez, Paulo André teve de se aplicar e
realizar algumas defesas de recurso, de modo a que as suas redes se mantivessem
intactas.

2.ª
parte
Apesar do resultado correr
de feição até ao intervalo, o O. Hospital regressou para a 2.ª parte disposto a
resolver a contenda e a mostrar porque merecia ser campeão. Os visitantes
aumentaram a pressão, passaram a jogar muito alto, obrigando o Carapinheirense
a recuar e a cometer erros. Um deles foi mesmo fatal, com Fred a ganhar o
ressalto, a entrar na área e a colocar, pela primeira vez, em delírio os muitos
adeptos que acompanharam a equipa oliveirense.

Quando se poderia esperar
uma reação adversária, aconteceu o contrário e foi o O. Hospital a aumentar a
intensidade de jogo, mostrando que queria, o mais rapidamente possí- vel,
acabar com as dúvidas. Isso mesmo aconteceu aos 60’, quando Luís Martins foi
derrubado na grande-área e Rui Moreira fez o que lhe era pedido, consolidando,
assim, o que se adivinhava.

Oportunidades
para os locais
Sentiu-se, então, que estava
encontrado o vencedor, mas Seidy e Miguel tiveram, ainda oportunidade de
obrigar Nando a aplicarse, com duas excelentes defesas, uma delas a dois
tempos, tal a intensidade do remate.

Em resumo, a equipa de
Oliveira dos Hospital foi justa vencedora já que, ao longo do jogo, foi sempre
mais forte, querendo mostrar que não é campeã por acaso e que queria oferecer a
festa no Campo de São Pedro a todos os que não os deixaram de apoiar.

A equipa de arbitragem não
teve influência no resultado mas, algumas vezes, permitiu que se jogasse “forte
e feio”.

Vítor Travassos (texto) Ana Bela Santiago Marques (foto) 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui