BASQUETEBOL – CAD-UPCC/Opticalia perde primeiro jogo das meias-finais na deslocação a Carnide

0
2
Após treze vitórias
consecutivas, que valeram a subida à Liga Feminina, a formação do CAD-UPCC/Opticalia
sentiu o sabor amargo da derrota ao perder em Carnide por 66-49, no primeiro
jogo das meias-finais do playoff da I
Divisão Feminina.

Num primeiro período muito
equilibrado, onde nenhuma equipa conseguiu mais que três pontos de vantagem,
terminou melhor a formação laranja, com uma vantagem de dois pontos (16-18),
graças à inspiração ofensiva da base cubana Oyanaisy Gelis e de Maria João
Andrade.

No segundo quarto, e novamente
com a “magia” de Gelis, o CAD-UPCC/Opticalia consegue uma vantagem de oito
pontos a meio do período, no entanto um par de perdas de bola e uma gritante
falta de eficácia das restantes jogadoras exteriores, permitiram ao Carnide
recuperar a diferença pontual e chegar ao intervalo na frente por 35-34.

No reatar da partida, a formação
da capital entra mais determinada, aumenta a pressão defensiva sobre as
jogadoras interiores da equipa visitante e consegue, graças à excelente
exibição de Maria Santos e Madalena Rodrigues, aumentar a diferença pontual
para sete pontos a três minutos do final do quarto. Uma tímida reação das
Cadistas serviu para encurtar o marcador para 52-47 no final do terceiro
período.

No quarto e último período, a
formação do distrito de Coimbra desapareceu do jogo. A desinspiração total da
maior parte das jogadoras e a lesão da sua base cubana permitiram ao Carnide
ganhar o jogo por números esclarecedores (66-49), colocando-se em vantagem no playoff.

Destaques individuais para Oyanaisy
Gelis (19 pontos; 9 ressaltos; 3 assistências; 3 roubos de bola) e Maria João Andrade
(16 pontos; 7 ressaltos; 1 assistência) na equipa do CAD-UPCC/Opticalia. No Carnide,
a MVP da partida Madalena Rodrigues (13 pontos; 10 ressaltos; 3 roubos de bola)
e Maria Santos (18 pontos; 2 ressaltos; 2 assistências; 2 roubos de bola) foram
as jogadoras em maior evidência.

Cabe agora à equipa Cadista
reverter o resultado negativo, vencendo o jogo do próximo sábado no Pavilhão de
Chelo. Se tal acontecer, disputa-se no domingo a “negra” que dará acesso à
final da I Divisão Feminina.