CCDR Centro premiou 82 empresas gazela de 39 concelhos da região

0
2

As 82 empresas gazela que,
na noite de sexta-feira, subiram ao palco para serem premiadas pela Comissão de
Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) estão distribuídas por
39 concelhos da região. No distrito de Coimbra há 12 gazelas, repartidas pelos
concelhos de Coimbra, Montemor-o-Velho, Lousã, Mira, Penela e Soure.
Representativas de vários sectores de actividade, desde os mais tradicionais
aos mais inovadores, estas empresas dão, igualmente, uma imagem da economia da
região enquanto exemplos de capacidade de crescimento, de criação de emprego
qualificado e da criação de oportunidades para entrarem nos mercados
internacionais.

Empresas que, como sublinhou
o presidente da Câmara de Viseu que recebeu no seu concelho esta 4.ª gala, «são bons exemplos do que se faz na região
Centro
». «Quem não perceber que só é
possível captar pessoas quando há empresas, então não percebe nada do que se
passa à sua volta
», afirmou Almeida Henriques, apontando Viseu como «um tampão à desertificação que se sente um
pouco por todo o interior do país
».

Mas os méritos deste
crescimento e dinâmica devem-se, na opinião de Almeida Henriques, aos
empresários e empresárias que não baixam os braços perante as dificuldades e
nunca se sentem satisfeitos com as vitórias que vão alcançando.

Foi também aos empresários e
às empresárias, que a presidente da CCDRC deu os seus parabéns. «Celebramos os vossos sucessos, as vossas
dificuldades, as pedras que foram apanhando no vosso dia-a-dia mas que vos
fizeram chegar até aqui
», sublinhou Ana Abrunhosa, adiantando que com esta
homenagem se agradece «o trabalho do dia-a-dia».

A cerimónia, que decorreu no
Montebelo Hotel, foi presidida pelo ministro da Economia que destacou o
contributo destas empresas gazela para o crescimento das exportações, do
emprego e do investimento. «São estas
empresas, com projectos bem definidos, com uma gestão determinada, que têm
feito a aceleração do crescimento da economia portuguesa, quer nas exportações,
quer no emprego, quer no investimento
», afirmou aos jornalistas, adiantando
que «o crescimento do emprego é muito
importante em todas as empresas, mas destaca-se sempre de forma mais acentuada
nas empresas de pequena e média dimensão
».

Para Manuel Caldeira Cabral,
as empresas gazela são «a boa demonstração de que há muitas empresas de sucesso
em Portugal», reforçando a tarefa do Governo em «facilitar a vida a estas empresas, nomeadamente no que diz respeito ao
financiamento
».

O ministro da Economia
sublinhou também o papel destas empresas na valorização dos seus trabalhadores
e os seus produtos que promovem com sucesso quer em Portugal, quer no mundo.
Eduarda
Macário
 (texto) Rui da Cruz (foto) – Diário de Coimbra