LIMPEZA DE TERRENOS – Homem fez queixa à PSP por tentativa de burla

0
2

Um empresário ligado ao ramo
imobiliário, de 54 anos, foi confrontado com um telefonema de um homem que se
apresentou como sendo o comandante “António” da Protecção Civil e exigiu o
pagamento de uma alegada coima por suposta infracção. O argumento apresentado
foi que o empresário deveria ter limpo até 31 de Março último um terreno em
Casal de Lobo e, por isso, teria de pagar uma coima no valor de 1.370 euros.


«Estive quase a “cair no conto do vigário”, pela simples razão de ter
sido apanhado de surpresa e até por se tratar de um terreno urbano, pese embora
a vegetação não tenha mais de 20 ou 30 centímetros de altura
», afiançou o
referido empresário, dando conta que o número de telefone encontra-se numa
placa de informação disponível no terreno a dar conta da sua venda.


«Naquela altura respondi que, realmente, não tinha limpo o terreno,
dizendo-lhe que iria estudar a melhor solução para o fazer
», alegou a
vítima, no sentido de resolver o problema antes de a chamada ser interrompida.
Posteriormente, o alegado burlão «voltou
a contactar-me, transmitindo que reduziria o valor da coima para 375 euros,
fornecendo o número de NIB de uma conta para transferir a verba
», adiantou.


Apesar de espantado e
desconfiado, o empresário, que «quase ia
sendo convencido com a conversa
», disse que apenas sabia «tratar-se do comandante António»,
querendo saber o apelido, até porque conhecia «António Simões, comandante dos Bombeiros Voluntários de Penacova».
«O burlão aproveitou a “deixa” para
afirmar tratar-se da mesma pessoa e, a partir desse momento, começou a
tratar-me por “tu”, mas felizmente que notei que não era a pessoa que conhecia
».


Depois de terminada a
chamada, a vítima resolveu descodificar a história, telefonando «ao engenheiro Maurício Marques, deputado e
antigo presidente da Câmara de Penacova, que me facilitou o contacto do
professor António Simões
».


Da conversa com o comandante
dos Bombeiros Voluntários de Penacova, o empresário percebeu de imediato que
«estava a ser alvo» de uma burla. A vítima apresentou queixa na PSP de Coimbra,
resolvendo partilhar este caso para que outras pessoas não sejam enganadas.


António Simões disse ao jornal que, «infelizmente,
existem pessoas sem carácter e com disposição para tudo
».





Carlos Sousa – Diário de Coimbra