INICIATIVA – Caminhadas contra o cancro ligaram milhares de pessoas na Região Centro

0
0


Percorrer cinco quilómetros
contra o cancro parece uma tarefa simples, mas é um gesto solidário de grande
importância. Ainda mais quando, como aconteceu ontem, as caminhadas decorrem em
simultâneo em 78 concelhos da região Centro. Com milhares de participantes, a
iniciativa do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro
(NRC. LPCC) vai agora apresentar-se como candidata a recorde do Guiness pela
maior mobilização comunitária na luta contra o cancro.

Sob o mote “O que nos Liga”, as caminhadas foram
organizadas pelos grupos de voluntariado comunitário dos diferentes concelhos.
Em Coimbra, juntaram-se perto de 500 pessoas. De t-shirt vermelha e com boa
disposição, o grupo saiu de Santo António dos Olivais e percorreu várias ruas
da cidade até ao Parque Linear do Vale das Flores.
Sensibilizar
a sociedade

Lutamos pela causa. Somos voluntárias de alma e coração”, disse ao
jornal Olinda Martins, durante uma paragem no Estádio Cidade de Coimbra.
Acompanhada pela neta Laura, três outras voluntárias e uma amiga, garantiu que
todas as iniciativas são importantes
para sensibilizar e chamar a atenção
”.

Queremos sensibilizar sobretudo os mais novos, para que se fale da
doença sem medos, a informação é fundamental
”, assegurou Conceição Silva. Também
Clarinda Abreu não é estreante nas caminhadas da Liga Portuguesa Contra o
Cancro. “Já vim há dois anos e ontem
[sábado] vi no jornal que havia outra vez e decidi voltar
”, contou. “Venho pela causa e todos deviam fazer o
mesmo
”, acrescentou.

Proximidade
aos doentes

Há 50 anos quando se criou o Núcleo Regional do Centro, um dos
objetivos era a criação deste voluntariado comunitário de proximidade com a
população
”, explicou ao jornal Carlos Freire de Oliveira, presidente do NRC
da LPCC que fez questão de marcar presença na caminhada.

O voluntariado visa “ajudar
a encaminhar os doentes para o IPO”, mas também “a divulgar a mensagem de educação para a saúde”, sublinhou o
responsável.

E na defesa de um estilo de vida saudável, nada melhor do que uma
caminhada que está diretamente ligada à prevenção da obesidade, associada a
cancros como o da mama, da próstata ou dos intestinos
”, acrescenta Carlos
Freire de Oliveira.

Estas caminhadas decorreram
no âmbito de um conjunto de atividades que assinalam os 50 anos da constituição
do NRC. LPCC e decorrem ao longo deste ano.

Cátia
Vicente
– Diário As Beiras

Vítor Pereira – Foto