PARLAMENTO – PSD quer conhecer calendário das obras no IP3

0
1
O PSD, através da deputada
Fátima Ramos, eleita pelo Círculo eleitoral de Coimbra, questionou o Ministro
do Planeamento e das Infra-estruturas para saber qual é “o cronograma previsto para as obras no IP3 e se está prevista a
interligação da A13 com o IP3?
”. Na pergunta dirigida a Pedro Marques,
Fátima Ramos recorda que o troço do IP3 “tem mais de 30 anos” e que, desde
então “a estrada que apresenta elevados
níveis de tráfego e de sinistralidade rodoviária tem sido ignorada enquanto, ao
mesmo tempo, milhares de quilómetros foram construídos em perfil de autoestrada
por todo o país
”.

Fátima Ramos sublinha que “só nos últimos dois anos existiram 366
acidentes rodoviários nesta estrada, que provocaram vários mortos e muitos
feridos. A elevada sinistralidade que se tem verificado aqui levou a que a
mesma fosse correntemente apelidada de “estrada da morte”
”. 
A deputada cita
mesmo as Infra-estruturas de Portugal que, em agosto de 2015, alertavam para
esta realidade.

Os deputados do PSD que
subscrevem a pergunta recordam que o governo de Passos Coelho a considerou como
uma das duas obras rodoviárias mais
prioritárias no País em 2014
”. Os parlamentares lembram o lançamento do
estudo prévio em 2015, designado por Via dos Duques, que previa o inicio da
construção em 2017. “Apesar das inúmeras
questões levantadas pelos Deputados do PSD, o atual governo limitou-se a
reconhecer que se tratava de um projeto prioritário. Agora, de acordo com
noticias recentemente divulgadas pela imprensa, o Governo assumiu em Abril que
irá avançar com a requalificação do IP3 entre Viseu e Coimbra, sendo que tudo
leva a crer que o Governo desistiu do projecto de construção de uma
auto-estrada entre Coimbra e Viseu, limitando-se a manter o atual IP3
”,
aponta Fátima Ramos.

A deputada relembra que,
para além deste facto, “se mantém a
pertinência de ligação da A13 ao IP3
”, uma ligação que, segundo os
sociais-democratas, permitirá melhorar as acessibilidades de toda esta região e
será um importante contributo para a melhoria da sustentabilidade da A13. “A melhoria da sustentabilidade da A13
significará a redução das comparticipações do estado a esta Parceria Publico
Privada o que será positivo para as finanças públicas
”, frisa.

Os sociais-democratas
recordam que de acordo com o noticiado, inicialmente, na imprensa, ficou a
informação que a A13 seria prolongada até Souselas entroncando com o IP3. “Mais recentemente e aquando da vinda do
Senhor Ministro das Infra-estruturas à Comissão de Economia, questionámos o
Senhor Ministro sobre este assunto não tendo obtido resposta, o que nos
preocupou dado que a ligação entre a A13 e o IP3 é extremamente importante para
o desenvolvimento do território
”, conclui a deputada do PSD.