DECO – Férias sem derrapagens financeiras….Evite os créditos!

0
2
      


 As
férias estão a chegar e o tão ansiado descanso poderá levar a que alguns
consumidores caiam na tentação de subscrever um contrato de crédito para o
efeito.
Consideramos
que contrair um crédito para viajar nunca é uma boa opção, pois o recurso ao
crédito não pode ser visto como uma simples vantagem, uma vez que ao fazê-lo
está gerar uma dívida.
Para
não haver derrapagens no orçamento familiar consideramos que a definição de um
plano para férias atempado será a opção mais sensata. Para o efeito deverá estabelecer
o destino, o alojamento, o transporte a utilizar, refeições a fazer e o
dinheiro previsível a gastar.
Caso
não tenha canalizado ao longo do ano uma poupança para as férias, deverá
definir necessariamente um valor máximo para despender, sem por em causa a
estabilidade do orçamento familiar aquando do regresso ao quotidiano.
Aconselhamos
a poupar ao máximo para conseguir pagar as despesas de férias, sem recorrer a
qualquer empréstimo.
Não
conseguindo alcançar o montante necessário, e mesmo assim pretender viajar e
recorrer ao crédito, escolha bem a modalidade de financiamento e prefira as
modalidades de pagamento mais baratas.
Deve
procurar ajustar a prestação à sua capacidade financeira, elegendo um prazo
mais curto, por forma a pagar menos juros. Ao alargar o prazo, poderá reduzir a
mensalidade, no entanto, no final, irá pagar mais juros.
Na
hora de escolher o crédito, um dos valores a ter em consideração é o da TAEG –
taxa anual efetiva global, que contempla todos os encargos com o financiamento,
pelo que, quanto mais reduzida for, menores são os seus custos.
Refira-se
que a TAEG reflete os juros, impostos, comissões, eventuais seguros e demais
encargos com o crédito.
Seja
responsável, evite o crédito, opte por opções mais económicas, privilegie o equilíbrio
do orçamento familiar, pois ao subscrever um crédito poderá estar a colocá-lo
em risco.
Em
caso de dúvidas não hesite em contatar-nos!
Tânia
Santana
– Jurista
DECO
Centro

Os
leitores interessados em obter esclarecimentos relacionados com o Direito do
Consumo, bem como apresentar eventuais problemas ou situações, podem recorrer
ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da DECO, bastando, para isso, escreverem
para a DECO – Rua Padre Estêvão Cabral, 79-5º, Sala 504-3000-317 Coimbra.