PENACOVA – Empresários afetados pelos incêndios de 15 de outubro fazem balanço positivo do Programa REPOR

0
2
Vinte e duas das empresas
afectadas pelo incêndio de 15 de Outubro, no concelho de Penacova, podem
concorrer ao Sistema de Apoio à Reposição da Competitividade e Capacidade
Protutivas (REPOR), refere nota da autarquia, fazendo notar que «foram já submetidas 15 candidaturas,
encontrando-se já aprovadas oito, com um investimento elegível de 1.132.881,46
euros, cofinanciado no valor de 958.175,95 euros
».

O balanço foi feito numa
reunião realizada no Hotel Rural da Quinta da Conchada, promovida pela
autarquia, através do Gabinete de Desenvolvimento Económico e Social (GDES),
que contou com a presença de 22 das 33 empresas do concelho afectadas pelos
fogos que, de acordo com a avaliação da autarquia, causaram prejuízos «no montante de cerca de 4 milhões de euros,
afectando directamente cerca de 306 postos de trabalho
».

Humberto Oliveira, presidente
da autarquia, salientou o «trabalho
notável
» que o GDES está a desenvolver, «no acompanhamento às empresas
afectadas», espelhado nos «33 relatórios
individuais e mais de 55 visitas presenciais
», que permitiram uma maior
proximidade entre os serviços do município e os empresários afectados, «apoiando-os quer no restabelecimento da sua
actividade, quer no estabelecimento de diversos apoios estatais a que podiam
recorrer
».

As candidaturas ao Programa REPOR – que apoia empresas cujos activos foram danificados, pelos incêndios, de
modo a repor a sua capacidade produtiva – decorrem até 1 de Outubro.

«É com este objectivo, o da recuperação dos activos empresariais
afectados que continuamos a trabalhar», afirmou o presidente da Câmara de
Penacova. «Aqui, no Hotel Rural da Conchada, também severamente afectado pelo
incêndio, podemos constatar que é possível reerguermo-nos
», adiantou,
salientando as medidas e incentivos, mas também a «equipa multidisciplinar» que a Câmara de Penacova e o concelho
possuem e que «permite, com o sucesso
que é visível a todos, que estejamos aqui reunidos, a fazer um balanço positivo
».
Uma palavra para agradecer a «importante
ajuda da CCDRC
» e, sobretudo, uma «homenagem
a todos quantos não se deixaram derrotar, não desistiram e procuraram ajuda e
soluções junto do GDES e da própria CCDRC
», concluiu Humberto Oliveira.