EMERGÊNCIA – Bombeiros vão receber 75 ambulâncias de socorro até final do ano

0
3


O plano para a renovação da frota
de ambulâncias prevê que sejam substituídas 75 viaturas em cada ano entre 2018
e 2021 já tinha sido anunciado em abril pelo ministro da saúde Adalberto
Campos e representa um investimento de 
3,7 milhões de euros.
Atualmente o INEM tem 326 ambulâncias em funcionamento nos Postos de Emergência
Médica (PEM).



A partir de agora, as ambulâncias vão ser adquiridas diretamente pelas corporações de
bombeiros, com o instituto a assumir o pagamento de uma verba de 50 mil euros
para a compra, manutenção e seguro da ambulância e, a partir do primeiro ano de
vida, ainda vai subsidiar as corporações de bombeiros nas despesas com
manutenção e reparações.



Apesar de enaltecerem esta nova
metodologia de compra de viaturas, o presidente da Liga dos Bombeiros
Profissionais (LBP), Jaime Marta Soares, e o presidente do INEM, Luis Meira,
deixaram algumas críticas ao Governo, concretamente ao Ministério das Finanças.



No cenário atual que
é colocado aos gestores públicos, em que cada cêntimo é arrancado a ferros, e
as decisões estão muitas vezes subjugadas a ficheiros Excel que não consegue
distinguir uma fotocopiadora de uma ambulância, conseguir realizar um
investimento deste montante é verdadeiramente assinalável. Também neste caso a
autorização para este investimento foi arrancada a ferros
“, afirmou
Luis Meira.



Para Marta Soares, este modelo de
negociação “
é
um bom caminho, mas não é perfeito
“, e há algo que “belisca o conceito“,
nomeadamente o valor atribuído a cada viatura que, em seu entender devia passar
dos 50 para os 55 mil.



O presidente da liga pediu também
um aumento de 500 euros no valor do seguro de manutenção, que atualmente é de
dois mil euros, deixando esse apelo à secretária de Estado da Saúde, Rosa Matos.



As associações e os
corpos de bombeiros fazem um esforço tremendo para ajudar as populações. E eles
não podem pagar para socorrer
“, acrescentou.


A secretária de Estado Rosa Matos
teceu elogios à nova metodologia, destacando a descentralização e a rapidez do
processo de aquisição de viaturas.



Passou a haver uma
relação mais eficiente e mais rápida com as corporações
“, disse.


Os PEM funcionam em corpos de
bombeiros ou delegações da Cruz Vermelha Portuguesa, que têm protocolos com o
INEM para dar resposta a emergências médicas pré-hospitalares.