ACESSIBILIDADES – Vila Nova de Poiares rejeita solução do Governo para IP3 e defende autoestrada

0
3


Ao demarcar-se de um alegado “consenso sobre a solução” que o primeiro-ministro, António
Costa, apresentou há dois meses, em Penacova, para a ligação de Coimbra a
Viseu, “que exclui o perfil de
autoestrada
“, o autarca do PS afirma em comunicado que esse projeto
não vai resolver o problema de
fundo do IP3, tampouco dos concelhos servidos por aquela infraestrutura
“,
incluindo Vila Nova de Poiares e Lousã.

A ligação
entre Coimbra e Viseu deve ser em perfil de autoestrada, embora, naturalmente
“,
o município de Vila Nova de Poiares “não
se oponha a qualquer intervenção no atual traçado que consista na melhoria da
segurança dos utentes
“.

João Miguel Henriques salienta que o IP3 “é o único itinerário principal do país com
elevado volume de tráfego que não tem perfil de autoestrada em toda a sua
extensão
“.

Coimbra e
Viseu merecem e justificam a ligação em autoestrada
“, a qual é “estruturante para a região e para o país“,
refere, para lembrar que Vila Nova de Poiares, “juntamente com um conjunto
de concelhos
” vizinhos, “defende
a autoestrada, bem como um traçado a sul do rio Mondego que contribua para uma
maior e mais equilibrada equidade territorial através do desenvolvimento
económico e social
“.

Na nota, é feita uma exigência ao município de Coimbra,
sede do distrito, liderado por Manuel Machado, do PS, também presidente da
Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Coimbra
deveria assumir um protagonismo diferente na região, reclamando para si a
responsabilidade de liderar a região Centro e reivindicar acessibilidades
condizentes com esse estatuto, nomeadamente a ligação por autoestrada à
fronteira com Espanha, já que é uma das poucas capitais de distrito do país que
não usufrui dessa realidade
“, critica.

A Câmara presidida por João Miguel Henriques insurge-se contra
a total ausência de intervenção na
estrada nacional 2 (EN2), no troço entre Vila Nova de Poiares e Penacova, por
parte da Infraestruturas de Portugal
“.

A EN2 “está
completamente ao abandono
“, apesar de ser a principal ligação de
Poiares e da sua zona industrial ao IP3 e depois à fronteira com Espanha.


É ainda lamentado “o esquecimento a que tem sido votada a EN17“, mais conhecida
por estrada da Beira, “que não
responde às atuais
necessidades
destes municípios e das suas populações, afastando-os cada vez mais

da capital de distrito.

Vila Nova de
Poiares continuará a ter uma atitude interventiva nesta matéria, procurando
sempre defender as soluções que considera defenderem melhor os interesses do
concelho, da região e das suas populações
“, acentua.

No dia 02 julho, no vizinho concelho de Penacova, o
primeiro-ministro realçou a importância da requalificação do IP3, entre
Penacova e Lagoa Azul, e da duplicação parcial desta via para reduzir a
sinistralidade, promover a coesão e a competitividade da região Centro.

Para António Costa, estas empreitadas, um investimento de
134 milhões de euros, são “muito
mais do que uma obra de ligação
” que diminuirá o tempo de viagem de
carro entre Coimbra e Viseu.

Numa extensão de 75 quilómetros do IP3, o Estado vai ajudar
a salvar vidas“, ao
assegurar segurança na circulação
rodoviária
“, sublinhou.