RECURSOS HÍDRICOS – Bacia do Mondego com a maior percentagem nacional de reserva de água

0
3


As populações que beneficiam de captações de água da
Bacia Hidrográfica do Mondego podem estar descansadas quanto ao abastecimento
de água para os próximos meses, se não houver nenhuma alteração drástica nas
condições meteorológicas normais nesta época do ano.

É que o conjunto de seis albufeiras da referida bacia
hidrográfica contabilizam a melhor percentagem de armazenamento de água do
território nacional sob monitorização.

Neste contexto, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA)
confirmou ao jornal que, “atendendo aos
volumes atualmente armazenados nas albufeiras e nas águas subterrâneas, não se
preveem quaisquer problemas na garantia dos diferentes usos existentes,
nomeadamente o abastecimento público, que é prioritário
”.

“Gigante”
da Aguieira

A Barragem da Aguieira – que tem uma capacidade de
armazenamento cinco vezes maior que o conjunto das restantes cinco barragens da
Bacia do Mondego – está com 75% da sua capacidade, mas a Barragem do Caldeirão
(Guarda) revela uma percentagem ainda maior (92%). Em sentido contrário, a
Barragem de Fronhas (rio Alva/ Arganil) só está a 37% da sua capacidade.

No relatório agora divulgado pelo Sistema Nacional de
Informação de Recursos Hídricos (SNIRH) não constam os valores da Albufeira de
Fagilde, que é a de menor capacidade deste território, mas que abastece os
concelhos de Viseu, Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo. Todavia, a APA
esclareceu ontem que “a Albufeira de Fagilde, no final de agosto, está no pleno
armazenamento, pelo que não se avizinham quaisquer problemas de garantia do
abastecimento
”.

Recorde-se que, no final de outubro do ano passado,
devido à seca, as autarquias tiveram de recorrer a camiões-cisterna para
garantirem o abastecimento público de água.

Maior
disponibilidade de água

De acordo com o SNIRH, a Bacia do Mondego era a que
apresentava, no final de agosto, a maior disponibilidade de água (81,6,%)
seguida, de muito perto, da do Guadiana (81,4%) e Tejo (81,2%).

As diferenças entre estas três são mínimas,
constatando-se ainda que as grandes barragens da região Centro que fazem parte
da Bacia Hidrográfica do Tejo (onde se integra o afluente Zêzere) também
apresentam valores muito positivos: 82% de reservas de água em Castelo de Bode
e 67% no Cabril.

Numa observação global, regista-se que 17 das 58
albufeiras (das 12 bacias hidrográficas) monitorizadas em Portugal continental
tinham em agosto reservas superiores a 80% do volume total e apenas seis
estavam abaixo de 40%.
Os armazenamentos de agosto de 2018 por bacia
hidrográfica apresentam-se superiores às médias de agosto (1990/91 a 2016/17),
exceto para as bacias do Lima, Ribeiras do Oeste e rio Mira.

António Rosado – Diário As Beiras