DECO – Dependência de videojogos será um vício?

0
3

Segundo
a OMS, os videojogos inserem-se na categoria de patologia aditiva sem
substância, sendo estas capazes de gerar dependentes que não precisam de uma
droga para o serem, pois envolvem os mesmo circuitos e regiões cerebrais
responsáveis pelos comportamentos aditivos com substância.

Por si
só, o jogo é uma atividade sem riscos para a saúde, se efetivamente for
praticado de forma responsável, com moderação. Mas a facilidade de acesso aos
videojogos 24 horas por dia, pode favorecer a dependência. A OMS considera que o
quadro de dependência se verifica quando há pouco controlo sobre o jogo,
nomeadamente sobre quando começa, com que frequência, intensidade e duração, ou
ainda quando o jogo prevalece relativamente a outros interesses.

De
acordo com a Organização Mundial de Saúde para o distúrbio ser diagnosticado,
estes comportamentos devem ser consistentes, pelo menos, durante um ano e terem
gravidade suficiente para ter impacto na vida pessoal, familiar, social, nos
estudos, no trabalho ou noutras áreas importantes da vida pessoal.

Existem
algumas formas de prevenir estes comportamentos que passam, na sua generalidade
por ensinar os seus filhos a ter uma relação saudável com as tecnologias.
Conheça alguns:

– Não
exagere nos limites de tempo passados em frente ao ecrã;

Explique que os tablets e computadores não são brinquedos e devem ser usados
com alguns cuidados; explique-lhes também quais os benefícios e os riscos
associados aos mesmos;

Explique aos seus filhos a importância da privacidade e da proteção da
informação pessoal;

Estabeleça um tempo limite para estes terem acesso aos tablets e computadores;

Evite que tenham acesso a tecnologia trinta minutos antes de irem dormir;

Tenha atenção aos sites que os seus filhos veem, ensine o bom comportamento
online e incentive as relações de amizade fora da realidade virtual.

Se
quiser saber mais sobre este tema, www.deco.proteste.pt.

Isa Tudela
Gabinete de Projetos e
Iniciativas
DECO Coimbra
Os leitores interessados em obter
esclarecimentos relacionados com o Direito do Consumo, bem como apresentar
eventuais problemas ou situações, podem recorrer ao Gabinete de Apoio ao
Consumidor da DECO, bastando, para isso, escreverem para a DECO – Rua Padre
Estêvão Cabral, 79-5º, Sala 504-3000-317 Coimbra.