HOMBRES – Um ano depois do dia 15 de outubro

0
2

Uma das primeiras aldeias da
União das Freguesias de São Pedro de Alva e São Paio de Mondego a sofrer “na
pele” com o dantesco incêndio de outubro passado, foi a aldeia de Hombres. Com
cerca de setenta moradores, estas gentes têm bem presente ainda os momentos trágicos
que viveram a 15 de outubro, onde todos ficaram entregues a si próprios, sem
comunicações, sem eletricidade, sem água, completamente isolados e sem que ninguém
os pudesse socorrer. Apesar de muito sofrimento e de muitos prejuízos
materiais, não se perderam vidas humanas, sobreviveram…

No passado sábado, numa
iniciativa que partiu da Comissão de Festas, à qual se associou também a
Associação local, este povo agradeceu o ter sobrevivido, tendo festejado
juntamente com familiares, amigos e outros vindos de aldeias vizinhas. Na
capela de Nossa Senhora da Encarnação, foi celebrada uma missa de ação de
graças presidida pelo digníssimo pároco Manuel Pinto Caetano, que foi
abrilhantada por um magnífico grupo de crianças – três das quais, irmãos, com
raízes na aldeia -, que fizeram com que a cerimónia tivesse ainda mais brilho e
enchesse o coração de todos. A capela, bem como o estacionamento, foram pequenos
para albergar todos os que se deslocaram a Hombres para assistirem à cerimónia.

Após a celebração, seguiu-se
um lanche partilhado no salão da Associação, onde todos conviveram num ambiente
saudável, e onde aí também as mesas foram poucas para acolher as muitas e
diversas iguarias levadas por cada um.

Foi por todos os presentes expresso
o desejo de que Hombres e a Freguesia continuem a ser espaço de união e de
convivio de moradores e dos “amigos” da região, bem como que estes momentos
possam persistir e cimentar-se ainda mais no tempo.

Casal
benemérito ofereceu mais um almoço

Américo Coimbra e a sua esposa
Carol associaram-se à iniciativa do passado sábado, tendo, no domingo, oferecido
o almoço a todos os habitantes da aldeia, para, junto de todos e com todos, “festejar a vida“, especialmente em
memória da bravura dos habitantes no incêndio de 15 de Outubro do ano passado.
Além de muito bem servido, o almoço primou pelo são e agradável convívio entre
todos os habitantes e demais presentes. Concretizava-se, assim, o intuito deste
evento.

O casal e as suas filhas, todos
radicados em Lisboa, são visita e permanência regular na aldeia de Hombres,
onde possuem uma habitação. Todos fazem sempre questão de estar presentes e de colaborar
em todos os eventos da aldeia, da qual são um dos principais beneméritos. Américo
Coimbra é filho da terra e, em momento algum, esquece as suas “raízes”, o que
leva a povoação a expressar o seu encarecido agradecimento e reconhecimento a
toda a família, pois, além de ser amiga de toda a gente, prontifica-se, sempre
que necessário, a auxiliar a Associação local ou a Comissão de Festas em todas
as suas iniciativas. Em jeito de reconhecimento, no final do almoço, ao casal
foram oferecidas duas lembranças meramente simbólicas do agradecimento de todos.